“Campo”, realizado por Tiago Hespanha e produzido pela Terratreme, integra a competição oficial de longas-metragens da 41.ª edição do Festival Cinéma du Réel, que se realiza entre 15 a 24 de março de 2019, em Paris. Esta é a estreia absoluta de “Campo”, filme que, no passado mês de agosto, venceu o principal prémio do programa First Look no Festival de Locarno para obras em fase de pós-produção. Este é o único filme português em competição no Cinéma du Réel, um dos mais importantes festivais de cinema documental.

Este documentário foi filmado na maior base militar da Europa, que se situa nos arredores de Lisboa. “Parti da exploração de um lugar extremo, onde a guerra é simulada, mas a destruição é real. Aproximei-me dos homens e dos animais que aqui habitam e encontrei excitação, obsessão, curiosidade, mas também rotina e aborrecimento. O que vivi apontava sempre para a transcendência do mundo e da vida, maiores que este lugar. No filme tentei agarrar a matéria e a energia que nos definem, pensei no génio e na deceção, no que nos torna únicos e insignificantes ao mesmo tempo. “Campo” é um filme em que aponto para o efémero, o grandioso e o absurdo que definem a nossa vida neste planeta.”, afirma o realizador.

Secção competitiva internacional
|A Rosa Azul de Novalis (The Blue Flower of Novalis), de Gustavo Vinagre, Rodrigo Carneiro (70’ / Brasil)
Bewgungen Eines Nahen Bergs (Movements of a Nearby Mountain), de Sebastian Brameshuber (85’ / Áustria)
Campo, de Tiago Hespanha (105’ / Portugal)
Diz a Ela Que Me Viu Corar (Let it Burn), de Maíra Bühler (81’ / Brasil)
Hamada, de Eloy Domínguez Serén (88’ / Suécia, Noruega, Dinamarca)
Last Night I Saw You Smiling, de Kavich Neang (77’ / Cambodja, França)
Learning From Buffalo, de Rima Yamazaki (100’ / EUA)
Los Sunos Del Castillo (Dreams of the Castle), de René Ballesteros (72’ / Chile, França)
Shelter – Farewell to Edén, de Enrico Masi (81’ / Itália, França)
La Strada Per le Montagne (The Way to the Mountains), de Micol Roubini (84’ / Ucrânia, Itália)
Taurunum Boy, de Dušan Grubin, Jelena Maksimovíc (70’ / Sérvia)
Una Corriente Salvaje (A Wild Stream), de Nuria Ibañez Castañeda (75’ / México)
Walden, de Daniel Zimmermann (106’ / Suiça)
Wan Mei Xian Zai Shi (Present.Perfect.), de Shengze Zhu (124’ / China)