No sexto dia de Cannes, aguardava-se com grandes expectativas a estreia de um dos filmes mais aguardados do ano, “A Árvore da Vida” de Terrence Malick. No entanto, talvez por se terem criado expectativas muito elevadas, as críticas foram mistas. As reacções ao filme não foram unânimes, talvez porque este filme de Malick não seja para qualquer pessoa, pois existe mais poesia do que realidade no filme. Brad Pitt, um dos actores principais desta visão épica da humanidade, diz que “Este filme é universal, Terrence Malick espera comover todas as culturas”.

 

Como sempre, Malick não gosta de dar entrevistas, pelo que nem apareceu em Cannes para a apresentação do seu filme. Os actores Jessica Chastain e Brad Pitt, acompanhados pelos 4 produtores do filme, Sarah Green, Dede Gardner, Bill Pohlad e Grant Hill, foram os representantes de “A Árvore da Vida”, pelo que Pitt explicou a ausência do realizador no festival dizendo que “Ele não quer discutir sobre o seu filme, porque deseja que o público o receba como um poema e que cada um possa interpretá-lo como quiser”. “A Árvore da Vida” pode muito bem ser a Palma de Ouro deste ano, o filme até pode nem ser o que mais se esperava dele, mas Malick há muito que merecia uma!