Cannes 2013: Steven Spielberg

A organização do Festival de Cannes anunciou hoje que o realizador e produtor Steven Spielberg aceitou ser o Presidente do Júri da seleção oficial do 66º Festival de Cannes, que irá decorrer de 15 a 26 de maio de 2013. “A minha admiração pela forma determinada como o Festival de Cannes defende o cinema internacional é total. Pois Cannes é o mais prestigiado de todos os festivais, o que lhe permite continuar a afirmar que o cinema é uma arte que transcende as culturas e as gerações.”, comenta o realizador com 40 anos de carreira e 27 filmes no curriculum, sendo “O Império do Sol” (1987), “A Lista de Schindler” (1993) e “A.I. Inteligência Artificial” (2001) alguns dos seus melhores filmes.

 

Para Pierre Berthomieu, Spielberg é o Rei das bilheteiras e criador de modas formais, (…) domina o grande espectáculo de Hollywood há já três décadas, desde a ficção científica ao filme catastrófico, do E.T. e do Parque Jurássico ao Relatório Minoritário e à Guerra dos Mundos. A sua imagem de eterno boy wonder, fascinado pela Disney e pelo Peter Pan, e de entertainer, construiu-se em torno do deslumbrante sucesso comercial, fazendo dele, aos olhos do público e da crítica, o mestre artesão do blockbuster (…)”. Segundo Gilles Jacob, o presidente do Festival, Spielberg já tinha sido convidado várias vezes para presidir ao júri do certame, “mas ele estava sempre a fazer um filme. Por isso, desta vez quando me disseram ‘E.T. phone home’ eu percebi e respondi-lhe imediatamente ‘Finalmente!'”. O nome Spielberg é uma presença regular em Cannes, tendo a sua primeira longa-metragem para cinema, “Asfalto Quente” (1974), ganho lá o prémio de Melhor Argumento. Seguiram-se mais tarde as estreias internacionais de “Tubarão” (1975), “Os Salteadores da Arca Perdida” (1981) e “E.T. – O Extra-Terrestre” (1982), quer na abertura ou encerramento do festival.

 

O realizador americano sucede assim a Nanni Moretti que presidiu o júri de Cannes em 2012. Sabe-se também que a cineasta Jane Campion, vencedora de uma Palma de Ouro em 1993 pelo filme “O Piano”, irá presidir o Júri das curtas-metragens e da Cinéfondation desta edição nº66.