Cannes 2021: “Onoda, 10 000 nuits dans la jungle” vai abrir a secção Un Certain Regard

onoda-cannes-2021-1
Last updated:

A segunda longa-metragem do realizador francês Arthur Harari, “Onoda, 10 000 nuits dans la jungle” (“10 mil noites na selva”), vai ser o filme de abertura da secção Un Certain Regard, uma secção paralela do Festival de Cannes, no dia 7 de julho.

Filmada em japonês, a coprodução internacional conta a história do soldado Hiroo Onoda que foi enviado para uma ilha nas Filipinas em 1944, para lutar contra a ofensiva americana. Enquanto o Japão se rende, Onoda ignora-a e continua a sua guerra. Ele levará 10.000 dias para capitular, recusando-se a acreditar no fim da Segunda Guerra Mundial.

Escrito e realizado por Arthur Harari, o filme é uma “odisseia interna impressionante, uma visão íntima e universal do mundo e da história. Com esta segunda longa-metragem (e a primeira na seleção de Cannes), Arthur Harari impõe com maestria a sua produção cinematográfica e entrega um grande filme sobre compromisso e tempo.”

Com Endō Yūya, Tsuda Kanji, Matsuura Yūya, Chiba Tetsuya, Katō Shinsuke, Inowaki Kai e Ogata Issei no elenco principal, “Onoda, 10 000 nuits dans la jungle” está previsto estrear nas salas de cinema francesas a 21 de julho, duas semanas depois da sua estreia mundial na 74.ª edição do Festival de Cannes.

A secção Un Certain Regard conta com 19 filmes, entre os quais as primeiras longas-metragens “Freda”, da realizadora do Haiti Gessica Généus, e “Un Monde”, da realizadora belga Laura Wandel. Fora de competição estreiam filmes como “Aline”, de Valérie Lemercier, “Stillwater”, de Tom McCarthy, e “The Velvet Underground”, de Todd Haynes.

Un Certain Regard
Moneyboys, de C.b Yi
Blue Bayou, de Justin Chon
Freda, de Gessica Généus
Delo (House Arrest), de Alexey German Jr.
Bonne Mère, de Hafsia Herzi
Noche De Fuego, de Tatiana Huezo
Lamb, de Valdimar Jóhansson
Commitment Hasan, de Hasan Semih Kaplanoglu
After Yang, de Kogonada
Let There Be Morning, de Eran Kolirin
Unclenching The Fists, de Kira Kovalenko
Women Do Cry, de Mina Mileva e Vesela Kazakova
Rehana Maryam Noor, de Abdullah Mohammad Saad
Great Freedom, de Sebastian Meise
La Civil, de Teodora Ana Mihai
Gaey Wa’r, de Na Jiazuo
The Innocents, de Eskil Vogt
Un Monde, de Laura Wandel
Mes Fréres et Moi, de Yohan Manca

Skip to content