Descerrando os Punhos (2021) © Legendmain filmes

“Descerrando os Punhos”: drama familiar premiado em Cannes nos cinemas nacionais

Premiado no Festival de Cannes, em 2021, com o prémio Un Certain Regard, “Descerrando os Punhos” (Разжимая кулаки; Unclenching the Fists, 2021) chegou aos cinemas nacionais a 3 de fevereiro.

Realizado pela cineasta russa Kira Kovalenko, “Descerrando os Punhos” conta no elenco com Milana Aguzarova como Ada, Alik Karayev como Pai, Soslan Khugayev como Akim.

O filme passou, em Portugal, pela seleccção oficial em competição do LEFFEST, em 2021, e foi a indicação russa para os nomeados ao Óscar de Melhor Filme Internacional.

Conta a realizadora, de acordo com entrevista disponibilizada pela distribuidora Legendmain Filmes: A inspiração inicial para a história veio de uma frase do O mundo não perdoa de Faulkner sobre como enquanto algumas pessoas podem suportar a escravatura, ninguém pode suportar a liberdade. A ideia da liberdade como um fardo foi o tema mais importante para mim enquanto trabalhava no filme. Inevitavelmente, a mesma ideia levou-me a refletir sobre o fardo da memória, e sobre a ligação entre os dois. Será possível suportar a liberdade da memória? Já há muito tempo que vivia com estes pensamentos.

Mais tarde, lembrei-me de uma pequena cidade em que passei uma vez e a que decidi voltar. É apenas uma pequena cidade numa ravina, um grupo de edifícios de apartamentos atrás de uma muralha alta. Passei por esta cidade e pensei numa história que pudesse nascer aqui. Este lugar parecia uma caixa na qual um humano pode ser escondido, protegido, ocultado. O resultado foi um conto de pessoas que viveram este evento, e que, muitos anos mais tarde, estão a tentar aceitar o trauma que ele causou. O mundo à sua volta ainda está marcado por isso, e eles próprios estão dilacerados, de uma forma que dita todas as relações desta família, de uns com os outros. A tentativa de esquecer e preservar implica um ato de violência contra a vontade humana, o que, paradoxalmente, é também um ato de amor.

Numa antiga cidade mineira na Ossétia do Norte, uma jovem mulher luta para escapar ao domínio sufocante da família que tanto ama quanto rejeita.

Skip to content