“O Discurso do Rei” (“The King’s Speech”), de Tom Hooper, é um dos filmes mais falados do ano e estreia, finalmente, em Portugal! O filme conta com 12 nomeações para os Óscares, o mais nomeados de todos, com 14 nomeações para os BAFTA e já venceu o Globo de Melhor Ator e o Sindicato dos Atores – Melhor Ator (Colin Firth). Depois de Colin Firth (“A Single Man”) ter sido derrotado em 2010 por Jeff Bridges (“Crazy Heart”), Firth tenta a sua sorte uma segunda vez, estando novamente nomeado para a categoria de Melhor Ator, também com Bridges. É sem dúvida o filme favorito na corrida aos Óscares. “O Discurso do Rei” estreia hoje e é um filme obrigatório a ver este mês.

 

Desde os cinco anos que Bertie (Colin Firth), Duque de York e segundo filho do rei Jorge V de Inglaterra (Michael Gambon), sofre de gaguez, algo que sempre abalou a sua auto-estima. Depois do embaraçoso discurso de encerramento da Exposição do Império Britânico em Wembley, a 31 de Outubro de 1925, Bertie, pressionado por Isabel (Helena Bonham Carter), futura rainha-mãe e sua esposa, começa a consultar Lionel Logue (Geoffrey Rush), um terapeuta da fala pouco convencional. Em Janeiro de 1936, o rei Jorge V morre e é o seu irmão Eduardo quem ascende ao trono até, menos de um ano depois, abdicar por amor a uma americana divorciada em favor de Bertie. Hesitante perante o peso da responsabilidade e obcecado em ser monarca digno do reino, o novo rei apoia-se em Logue, que o ajuda a superar a gaguez.