Entre Olhares 2023: Barreiro volta a receber grande montra do cinema português

"Nôs Dança", de Rui Lopes da Silva
"Nôs Dança", de Rui Lopes da Silva

Entre Olhares – Mostra de Cinema Português  está de volta ao Barreiro pela 5.ª edição consecutiva, de 4 a 18 de novembro, com um panorama representativo da produção nacional, que integra 60 filmes de ficção, documentário, animação e cinema experimental, que terá lugar no Cine Clube do Barreiro e nos cinemas do Fórum Barreiro.

A sessão de abertura, no dia 4 de novembro, conta com a projeção da longa-metragem “Nôs Dança”, de Rui Lopes da Silva, “que documenta uma viagem com o bailarino e coreógrafo António Tavares na busca das danças espalhadas pelas diversas ilhas do arquipélago de Cabo Verde, desde os ritmos tradicionais aos estilos contemporâneos.”

Vinte e cinco obras de ficção e animação compõe a secção Olhar o Mundo, “dedicada a filmes que recriam factos e circunstâncias semelhantes aos da vida real ou que reflictam sobre ela”. Destacam-se filmes como “Raticida”, de João Niza, “O Homem do Lixo”, de Laura Gonçalves, “Please Make It Work”, de Daniel Soares, “A Fuga”, de João Brás, 2720″, de Basil da Cunha, ou “Polvo”, de Catarina Sobral.

Territórios, a secção dedicada ao documentário, que conta com onze filmes que relatam a realidade e as suas particularidades, dos quais se destacam por exemplo “Encontros Perdidos no Tempo”, de José Manuel Fernandes, “Caretos da Lagoa”, de Tiago Cerveira, ou “Aclarar”, de Isabel Medeiros.

“O Entre Olhares conta ainda com a secção Narrativas em Contraste, um espaço na programação dedicado ao terror e sci-fi. Destaca-se nesta secção a curta “Maria José Maria”, de Chico Noras, um filme de terror psicológico que, com um toque hitchcockiano, humor sangrento e absurdo, inspira-se numa história verídica que horrorizou Portugal em meados do século XIX. Nesta secção pode-se descobrir ainda a curta “Irritación”, de Diogo Oliveira, que nos dá a conhecer Mateo, que ao desenvolver uma doença estranha na pele é forçado pelo irmão a ficar trancado no seu quarto, onde parece não estar sozinho.”

“A secção Caminhos Alternativos, dedicada ao cinema experimental, proporciona um conjunto de filmes menos convencionais, com especial recurso aos mecanismos da imagem e do som. Nesta secção destaca-se “As Lágrimas de Adrian”, de Miguel Moraes Cabral, que foi montado inteiramente através de imagens preexistentes e teve uma menção especial na edição deste ano do IndieLisboa. A curta “Motus”, de Nelson Fernandes, é também um ótimo exemplo de cinema experimental, feito em stop-motion”.

 

Olhar o Mundo

AS SACRIFICADAS, de Aurélie Oliveira Pernet
CURA # 1, de Joana Peralta
ADOPÇÃO, de Francisco Bartilotti
2ª PESSOA, de Rita Barbosa
RATICIDA, de João Niza
O HOMEM DO LIXO, de Laura Gonçalves
THE COOKBOOK, de Pedro Chaves
O FILME FELIZ :), de Duarte Coimbra
PLEASE MAKE IT WORK, de Daniel Soares
2720, de Basil da Cunha
A CASA PARA GUARDAR O TEMPO, de Joana Imaginário
O CASACO ROSA, de Mónica Santos
APLAUSO, de Guilherme Daniel
HEITOR SEM NOME, de Vasco Saltão
DIAS DE NEVOEIRO, de Francisco Carvalho
A FUGA, de João Brás
HANNA, ANNA, ANA, de Ana Teresa, Bruno Alves
CORPOS CINTILANTES, de Inês Teixeira
POLVO, de Catarina Sobral
FAME, de João Mestre
MONTE CLÉRIGO, de Luis Campos
MORTE EM AGOSTO, de Bruno Abib
ENTRE A LUZ E O NADA, de Joana de Sousa
APONTAMENTOS DE CURVA_CORRENTEZA, de Flavia Regaldo
NOBODY, de Marcela Jacobina

Territórios

ENTRELINHAS, de João Filipe Silva
O BANHO, de Maria Inês Gonçalves
PARALYMPIA, de Gonçalo Eugénio, Luísa Campino, Benjamim Gomes, Miguel Mesquita, Vasco Bäuerle, David Arrepia, Francisca Sá, Diogo Pinto
DILDOTECTÓNICA, de Tomás Paula Marques
EU ESTOU AQUI, de Bárbara Henriques, Jorge de Carvalho
CARETOS DA LAGOA, de Tiago Cerveira
COMEZAINAS, de Mafalda Salgueiro
MEMÓRIAS DE PAU PRETO E MARFIM, de Inês Costa
ACLARAR, de Isabel Medeiros
ULTIMATE BLISS, de Miguel de Jesus
ENCONTROS PERDIDOS NO TEMPO, de José Manuel Fernandes

Narrativas em Contraste

MARIA JOSÉ MARIA, de Chico Noras

HABITAT, de Francisco Mendes
IRRITACIÓN, de Diogo Oliveira
MAELSTROM, de Pedro M. Afonso

Caminhos Alternativos

ABISSAL, de Pedro F. Neto, João Baptista
CORTEN, de João Pedro Fonseca
UNSTABLE BODIES, de Vinicius Ferreira
MOTUS, de Nelson Fernandes
TROADA, de Vitor Hugo Rocha
ALENTO, de Leonor Pacheco
AS LÁGRIMAS DE ADRIAN, de Miguel Moraes Cabral

Curtas à Primeira Vista

DENTU ZONA, de Eliana Caleia

LISNAVE, de João Pinto

DOMVS, de Laura Ribeiro Vilela
OLHAR DOS INOCENTES, de Nádia Branco
CLOTILDE, de Maria João Lourenço
NEBLINA, de Milene Coroado
RUBAB, de Marta Vaz
BABILÓNIA, de Adriana Pereira, João Vicente
NA MINHA VIDA, de José Lobo Antunes
O ABAFADOR, de Silvana Torricela
WETSUIT, de João Salgado
BENTUGUÊS, de Daniel Borga

Skip to content