Estreias da Semana (10-Julho-2014)

“Temporada do Rinoceronte”

de Bahman Ghobadi

Irão – Drama – 2012

Sinopse: Baseado nos diários de poeta curdo-iraniano Sadegh Kamangar, Rhino Season conta a história do poeta curdo-iraniano Sahel e sua esposa Mina, um casal injustamente preso durante a Revolução Islâmica iraniana. Tendo sobrevivido a 30 anos de terrível prisão, Sahel é finalmente libertado, sendo que o que o mantem vivo é o pensamento de reencontrar Mina, que o julga morto há mais de 20 anos e que deixou o país indo para a Turquia. Ali vive como imigrante com os seus dois filhos, ainda de luto pela perda de seu marido. Um fantasma destruído de si próprio, Sahel parte para Istambul em busca da mulher que ama. À medida que decorre a sua viagem esta revela-se rapidamente como uma passagem fantástica através da escuridão de sua história, e, a sombra negra do homem que os manteve distante todos esses anos, ressurge.

“Agentes Universitários”

de Phil Lord, Chris Miller

EUA – Ação/Aventura – 2014

Sinopse: Após conseguirem terminar a escola secundária (por duas vezes…), grandes mudanças estão a caminho nas vidas dos policias Schmidt e Jenko, quando estes iniciam uma missão – altamente à paisana! – numa Universidade local. Mas quando Jenko conhece a alma gémea na equipa de futebol, e Schmidt se infiltra no grupo de arte boémia, esta parceria parece estar em risco… Agora já não é apenas uma questão de desvendar o caso – eles terão igualmente de descobrir se conseguem ter uma relação como dois adultos.  E caso estes dois adolescentes excessivamente grandes se consigam transformar de caloiros em homens a Universidade pode mesmo ser a melhor coisa que já lhes aconteceu!

“As Crianças do Sacerdote”

de Vinko Bresan

Croácia – Comédia – 2013

Sinopse: Um jovem padre católico tenta melhorar os índices de crescimento demográfico da sua pequena ilha na Dalmácia com métodos muito pouco usuais. Após sabotar os contraceptivos da sua farmácia local, o plano parece trazer os resultados desejados. Mas a situação torna-se incontrolável e num grande problema para o padre resolver.

“Na Terceira Pessoa”

de Paul Haggis

EUA – Drama – 2013

Sinopse: Michael é um escritor premiado com o prémio Pulitzer isolado num quarto de hotel em Paris à procura de inspiração para terminar o seu último livro. Michael deixou recentemente a mulher Elaine e está a ter um caso apaixonado com Anna, uma jovem jornalista ambiciosa que deseja começar a escrever e a publicar. Ao mesmo tempo, Scott, um obscuro homem de negócios americano, está em Itália para roubar projetos de casas de moda. Scott entra no “Café Americano”, à procura de algo familiar para comer. Lá, ele conhece Monika, uma bela romana, que está prestes a reencontrar a sua jovem filha. Mas quando o dinheiro que Monika tem para pagar pela filha é roubado, Scott sente-se obrigado a ajudá-la e viajam juntos para uma perigosa cidade no sul da Itália. Enquanto Scott começa a suspeitar que está a ser alvo de um golpe muito elaborado, Julia, uma ex-atriz, enfrenta uma batalha judicial pela custódia do filho de seis anos com o ex-marido Rick, um famoso artista de Nova Iorque. Sem dinheiro e com enormes custos legais, Julia vê-se obrigada a trabalhar como empregada doméstica num hotel de luxo que antes frequentava. Quando tudo parecia perdido, Theresa, a advogada de Julia, consegue uma última oportunidade para Julia provar em tribunal que é uma mãe capaz. Enquanto Julia prova as agruras de uma vida diferente da vida glamorosa que antes tinha, SAM a atual namorada de Rick assiste a toda esta situação com grande pesar.

“Night Moves”

de Kelly Reichardt

EUA – Drama – 2013

Sinopse: A história de três ambientalistas radicais que se juntam para executar a maior acção das suas vidas: a explosão de uma barragem hidroeléctrica – fonte e símbolo da cultura industrial que eles desprezam.

“Njinga, Rainha de Angola”

de Sérgio Graciano

Angola – Biografia – 2013

Sinopse: A história do filme começa em 1617, ano em que o pai de Njinga, o rei Kilwanji, morre. Njinga é testemunha do crescente domínio português e da perda de soberania dos povos. Ao presenciar o declínio do reino, dá início à luta de libertação dos Mbundu. Após quatro décadas de conflito com o lema “quem ficar, luta até vencer”, é selada a paz com os portugueses, que a reconhecem como a rainha de Matamba e Ndongo.