Muito do segredo para este filme, segundo o realizador, Todd Phillips, passou por uma ideia já pré-concebida das partes do todo: “Sinto-me atraído pela ideia de quem poderá ser o protagonista. Parte da razão por que adorei escrever este argumento com Scott Silver foi imaginar o Joaquin Phoniex a fazer isto”.

Todd Phillips quis, ainda, enaltecer o lado humano deste filme: “Penso que o filme fala de sentir empatia, em geral. Em sentir empatia por aqueles que têm menos sorte ou que não se adaptam ao mundo, como Arthur”.

Joaquin Phoniex, a respeito da sua experiência e do que considera ser um papel digno, disse: “Foi agradável e satisfatório. Como ator, procuro papéis que vão desafiar-me de formas que não consigo antecipar. Mas eu gosto disso”.

Numa experiência que o levou ao limite, ele esclarece, com alegria: “Descobri que, no final do dia, não me sentia cansado como pensava que iria ficar. Sentia-me cheio de energia e entusiasmado e mal podia esperar para voltar para o trabalho”.

“Joker” está a ser um sucesso de bilheteira, tendo já arrecadado mais de 234 milhões de dólares em todo mundo. Em Portugal, já foi visto por mais de 216 mil espectadores, segundo dados do ICA, sendo já um dos filmes mais vistos do ano nas salas de cinema portuguesas.