“José e Pilar” é exibido no Japão

O filme “José e Pilar” (2010), de Miguel Gonçalves Mendes, foi escolhido para representar Portugal no EU Film Days 2020, um festival de cinema coorganizado pela Delegação da União Europeia, as Embaixadas dos Estados-Membros da UE e a EUNIC, que tem apresentado todos os anos, desde 2003, o melhor do cinema europeu ao público japonês.

“Este ano, face à situação de pandemia causada pelo coronavírus, o festival será realizado pela primeira vez online, em colaboração com o Aoyama Theater (https://aoyama-theater.jp/), contando com a participação de 21 filmes, entre os próximos dias 12 e 25 de junho. A divulgação terá acesso limitado, sendo apenas disponível para visualização dentro do Japão.”

A versão online do EU Film Days 2020 apresenta 21 obras europeias (incluindo sete a serem disponibilizadas no Japão pela primeira vez) de 20 estados-membros da UE.

Portugal é representado por “José e Pilar”, de forma a assinalar o 10.º aniversário da morte do escritor. “É de notar que a obra de José Saramago é pouco conhecida no Japão, apesar do romance “Ensaio sobre a Cegueira”, recentemente, ter recebido a atenção dos leitores japoneses, neste momento histórico marcado pela pandemia.”

Este documentário, um retrato intimista da vida do escritor José Saramago e da sua mulher, Pilar Del Rio, foi um dos filmes portugueses mais vistos de 2010 e foi candidato à nomeação do Óscar de Melhor Filme Estrangeiro. Miguel Gonçalves Mendes encontra-se neste momento a terminar o seu mais recente filme, “O Sentido da Vida”, que levou cerca de cinco anos a filmar e que tem tido dificuldades em terminar a edição devido à falta de financiamento. No entanto, o filme, que conta com a participação de Andreas Mogensen (astronauta), Dilma Roussef (ex-Presidente do Brasil), Giovane Brisotto, Julian Assange, Hilmar Örn Hilmarson, Mariko Mori e Valter Hugo Mãe, deverá estrear em 2021.