“José e Pilar” regressa aos cinemas para comemorar centenário de Saramago

Jose-Pilar-2010-4

O emblemático filme de Miguel Gonçalves Mendes, “José e Pilar” (2011), vai ser novamente exibido nas salas de cinema portuguesas, no dia 16 de novembro, dia em que se assinala o 100.º aniversário de José Saramago.

Numa parceria entre a JumpCut, os Cinemas NOS e a Fundação Saramago, o documentário terá uma exibição única e exclusiva (16 de novembro, pelas 21h) nas salas NOS: Lisboa (Amoreiras, Oeiras Parque), Porto (Norte Shopping), Centro (Foz Plaza, Fórum Viseu, Alma Shopping), Norte (Nosso Shopping, Braga Parque), Sul e Ilhas (Fórum Algarve, Évora Plaza, Fórum Madeira).

“José e Pilar”, um retrato intimista da vida do escritor José Saramago e da sua mulher, Pilar Del Rio, foi um dos filmes portugueses mais vistos de 2010 e foi candidato à nomeação do Óscar de Melhor Filme Estrangeiro. O filme resulta de uma co-produção da El Deseo (Espanha), associada ao realizador Pedro Almodóvar, da O2 (Brasil), produtora do realizador Fernando Meirelles e da JumpCut.

Baseado no dia-a-dia do casal em Lanzarote e Lisboa, na sua casa e em viagens de trabalho por todo o mundo, “José e Pilar” é um retrato surpreendente de um autor durante o seu processo de criação e da relação de um casal empenhado em mudar o mundo – ou, pelo menos, em torná-lo melhor. “José e Pilar” revela um Saramago desconhecido, desfaz ideias feitas e prova que o génio e a simplicidade são compatíveis. “José e Pilar” é um olhar sobre a vida de um dos grandes criadores do século XX e a demonstração de que, como diz Saramago, “tudo pode ser contado doutra maneira”.

Esta é uma oportunidade de rever no cinema um dos mais icónicos filmes portugueses do século XXI.

A Fundação José Saramago tem um programa vasto de iniciativas para comemorar o centenário do nascimento de José Saramago (1922-2010), que tem sido apresentado ao longo de 2022. A Cinemateca Portuguesa também se associou ao programa, com o Ciclo “José Saramago no cinema”. O programa tem início no dia 14 de novembro, às 19h, com a projeção de “José e Pilar”, de Miguel Gonçalves Mendes. No dia 15, serão exibidos “La Balsa de Piedra”, de George Sluizer, pelas 15h30, e “Saramago: documentos”, de João Mário Grilo, às pelas 19h30. No dia 16, às 15h30, os filme projetados serão “La Flor Más Grande” e “Embargo”, e no dia 17, no mesmo horário, “Blindness”, de Fernando Meireles.

O filme “O Ano da Morte de Ricardo Reis”, de João Botelho, será exibido em Buenos Aires, Montevideo e Bogotá (diversos locais e eventos), com curadoria de Maria João Machado.

Skip to content