Kubrick- Uma Odisseia Cinematográfica_1

Stanley Kubrick foi dos poucos, se não mesmo o único realizador a poder trabalhar com os grandes estúdios de Hollywood e mesmo assim não ter que abdicar da sua total liberdade criativa. Esse privilégio deve-se claro está aos resultados obtidos pelos seus filmes que mesmo sendo cinema de autor, conseguiam (e ainda o conseguem) agradar a um basto numero de pessoas. Kubrick consegue aliar a visão artística à capacidade de entreter o grande público com filmes como “Dr. Strangelove”, “Nascido para Matar” e “De Olhos Bem Fechados”. A sua capacidade de adaptação é também algo digno de registo já que ele é também dos poucos realizadores que conseguiram penetrar nos mais variados géneros cinematográficos mantendo sempre a mesma linha de pensamento e a mesma tendência para o sucesso. Um Realizador com uma atenção particular para o detalhe e cuja inspiração afecta milhares de realizadores e artistas ainda hoje.

 

Escrever este especial “Kubrick: Uma Odisseia Cinematográfica” foi um exercício difícil devido ao facto de o realizador não gostar de explicar a cem por cento qual o significado dos seus filmes, deixando essa parte para o espectador. Dava-lhe uma experiência subjetiva sobre o filme que tem á sua frente. Ainda para mais, já muito se escreveu sobre este senhor e a sua obra, pelo que é difícil contar sempre algo novo. Foi portanto um desafio interessante e que será continuado ao longo dos anos e á medida que vamos revendo os filmes, descobrindo sempre novos detalhes que nos irão dar novas perspectivas sobre a obra daquele que foi um dos melhores, senão mesmo o melhor cineasta de todos os tempos.

 

“A film is – or should be – more like music than like fiction. It should be a progression of moods and feelings. The theme, what’s behind the emotion, the meaning, all that comes later.”

por Stanley Kubrick

 

Por fim, despedimo-nos deste especial com o documentário “Stanley Kubrick : Life in Pictures”, para ficar a conhecer ainda melhor este grande realizador.

Artigo escrito por: Eduardo Magueta e Tiago Resende