Morreu a realizadora Bárbara Virgínia

Bárbara Virgínia

Morreu no domingo, 8 de março, a realizadora português Bárbara Virgínia, no Rio de Janeiro (onde residia nos últimos anos). Tinha 92 anos. A cineasta e atriz ficou conhecida na história do cinema português como a primeira mulher a realizar uma longa-metragem sonora e a primeira a apresentar um filme no Festival de Cannes.

Bárbara Virgínia, a primeira mulher a realizar um filme em Portugal, nasceu em Lisboa em 1923 e do Teatro passou para o Cinema como atriz nos filmes “Sonho de Amor” (1945) de Carlos Porfírio e “Aqui Portugal” (1947) de Armando de Miranda. Mas é com apenas 22 anos que se estreia como realizadora com o filme “Três Dias Sem Deus” (1946). Este foi o seu primeiro e único filme no papel de realizadora e atriz, tendo sido escolhido para, ao lado do filme “Camões”, de Leitão de Barros, representar Portugal no Festival de Cannes. Pouco depois muda-se para o Brasil, onde desenvolve o resto da sua carreira no Teatro, com algum sucesso.

Hoje poucos a conhecem e quer a história do cinema português, quer as escolas de cinema, a esqueceram.