Mark Urman, veterano do cinema independente, presidente da distribuidora ThinkFilm e fundador da Paladin Films, morreu aos 66 anos, em Newark, Nova Jérsia, devido a cancro.

O distribuidor começou a sua carreira no cinema como publicitário na United Artists in New York, passando pela Columbia Pictures e na firma Dennis Davidson & Associates.

Em meados dos anos 90, juntou-se à Cinépix Film Properties como chefe do departamento de distribuição quando a empresa foi comprada pela gigante de produção Lionsgate. Tornou-se presidente de distribuição na THINKFilm e foi importante nas campanhas publicitárias de filmes como “Half Nelson – Encurralados” (2006) – uma aquisição do Sundance, que mais tarde valeu a Ryan Gosling a sua primeira nomeação ao Óscar de Melhor Ator Principal – e também de projetos como “Confrontação”, “Deuses e Monstros”, documentário vencedor de um Óscar, “Born Into Brothels” e “Taxi To The Dark Side”.

Para além da distribuição, Mark Urman produziu filmes como “Monster’s Ball – Depois do Ódio” (2001), “Muderball – Espírito de Combate” (2005) e “War Dance” (2007), todos com presenças nos Óscares.

Urman lançou a Paladin Films em 2009, que distribuiu filmes como “Boy” e “O Que Fazemos nas Sombras”, ambos realizados por Taika Waititi.