Morreu ontem Andrew Berends, aos 46 anos, realizador de cinco documentários e, mais recentemente, o diretor de fotografia de Free Solo (2018), vencedor do Óscar de Melhor Documentário na 91.ª edição dos Óscares. Desconhece-se até ao momento a causa da morte.

Durante a sua carreira, Berends focou-se em temas que não tinham a sua devida importância, dando claro destaque aos vários conflitos internacionais, particularmente no continente africano.

O seu filmeDelta Boys, de 2012, aborda a guerra de interesses no que toca à exploração das regiões ricas em petróleo da Nigéria. Já em 2015, o seu filme Sonho de Madina, destacou a história de uma rapariga apanhada na sequência da guerra civil sudanesa.

Antes da estreia de “Sonho de Madina” no SXSW Film Festival, Berends confessou que queria que o público do SXSW ficasse triste e indignado com o que estava a acontecer nas Montanhas Nuba. Eu quero que as pessoas sejam inspiradas pela magia da região, pelo espírito e beleza de meninas como Madina. Eu quero que saiam da sala de cinema com a consciência de que a guerra continua, e com há crianças sob ameaça neste preciso momento.”

O último trabalho de Andrew Berends, “Free Solo”, estreia em Portugal, no National Geographic Channel, a 17 de março às 22h30.