Verdes-Anos-Paulo-Rocha-1963

Obra de Paulo Rocha relançada nos EUA com grande repercussão

A obra de Paulo Rocha está a ser relançada este mês nos EUA e está a ser entusiasticamente recebida pela crítica especializada americana. Os filmes “Os Verdes Anos” (1963) e “Mudar de Vida” (1966), foram lançados com versões restauradas em 4K pelas distribuidoras Grasshopper Film e Second Run.

Em ambos os casos está incluída a edição DVD/Blu-Ray e a disponibilização através de plataformas VoD, e, no caso dos Estados Unidos, também a possibilidade de distribuição em sala de cinema.

Os dois primeiros filmes de Paulo Rocha, um dos fundadores do Novo Cinema em Portugal, estão a ter grande repercussão na imprensa americana, que reconhece no cineasta um dos grandes autores do cinema europeu dos anos 60 que urgia dar a conhecer nos Estados Unidos. Os filmes serão também lançados muito em breve no Reino Unido.

“Para já, e dada a continuação da suspensão de toda a actividade de exibição cinematográfica nos Estados Unidos devido à pandemia, os dois filmes estão a ser disponibilizados no âmbito da programação virtual de mais de 25 salas de referência daquele país, nomeadamente no programa de Agosto do Lincoln Film Center em Nova Iorque e do Wexner Center for the Arts em Columbus.”

“A distribuição dos dois filmes é feita a partir das versões digitais das duas obras decorrentes dos trabalhos de restauro levados a cabo pela Cinemateca Portuguesa com a participação especial do realizador Pedro Costa, trabalhos completados em 2015 e, entretanto, lançados em Portugal, em sala e em DVD, pela Midas Filmes.”

Watching The Green Years recalls the early days of one’s cinephilia, when entire worlds opened with a new name, a new landscape, and the incessant desire to see more.
– The Film Stage – https://cutt.ly/qd38QME

A fantastic rediscovery in the truest sense. Brimming with contemporary resonance, and moving with the rhythms of la nouvelle vague… It’s a gift for cinephiles, and should hopefully bring Paulo Rocha a deserved space in the conversation of influential filmmakers. Grade: A.
– Kevin Jagernauth, The Playlist – https://cutt.ly/Bd38YVl 

A virtuoso black-and-white debut. Stunning. It’s a film so mature, with such musical verve and pictorial elegance, we can only marvel at the energy that was in the air in Europe in the 1960s.
– Ella Bittencourt, Notebook – https://cutt.ly/wd38DvC

Shot in often startling black and white Elso Roque, Change of Life’s cinematic beauty is deeply intertwined with the film’s humane vision.
–  Glenn Kenny, New York Times – https://cutt.ly/Od34y2m 

Fonte: Cinemateca Portuguesa