4   +   9   =  

Principais géneros e a sua evolução

A década de 40 do cinema português ficou principalmente marcada pelo género de comédia. Mas, os anos 40 foram muito mais do que a comédia, fez-se um pouco de tudo. Foi a única altura em que o cinema português teve uma indústria cinematográfica, muitos filmes estrearam nesta década. No entanto, o género de comédia foi o que mais se desenvolveu e o que mais sucesso teve, mas não na altura, grande parte destes filmes de comédia só tiveram o merecido reconhecimento do público a partir dos anos 90, com as sucessivas emissões na RTP1 e RTP Memória.

 

Os temas frequentes no cinema português eram, o futebol, que está na base de “O Trevo de quatro folhas”, “Bola ao centro” e “O Leão da Estrela”; era a rádio e o fado, com “O Pátio das Cantigas”, “A Menina da Rádio”, “Capas Negras” e “Fado”. Outras temáticas, um pouco menos usadas, no cinema português, foram a religião, como “Fátima, terra de fé” (1943), “Três dias sem Deus” (1946) e “Não Há rapazes maus” (1949); os filmes histórico-literários (fizeram-se grandes produções e algumas foram faladas no estrangeiro), como, “Inês de Castro” (1944) e “Camões” (1946). Este último, é o paradigma, de um filme    que foi prestigiado, financiado e promovido pelo regime de Salazar.

 

O cinema dos anos 40 praticamente que desaparece nos anos 50, ou seja, os géneros das décadas anteriores são substituídos por géneros de filmes menos artísticos e menos competentes a nível técnico. Os velhos realizadores dos anos 40 deixam de filmar, ou passam a realizar muito raramente, sendo que poucos filmes se produziram nos anos 50, em Portugal.

 

Principais cineastas, actores e filmes

Cineastas:

– António Lopes Ribeiro (1908-1995)

– Arthur Duarte (1895-1982)

– Armando de Miranda (1904-1971)

– Bárbara Virgínia (1923-)

– Francisco Ribeiro (1911-1984)

– Jorge Brum do Canto (1910-1994)

– José Leitão de Barros (1896-1967)

– Manuel de Oliveira (1908-)

– Perdigão Queiroga (1916-1980)

 

Actores:

– Amália Rodrigues (1920-1999)

– António Silva (1886-1971)

– Artur Agostinho (1920-2011)

– Francisco Ribeiro (Ribeirinho) (1911-1984)

– Maria Matos (1890-1952)

– Milú (1926-2008 )

– Nascimento Fernandes (1881-1955)

– Vasco Santana (1898-1959 )

– Virgílio Teixeira (1917-2010)

 

Filmes:

– “O Pai Tirano” de Lopes Ribeiro (1941)

– “O Pátio das Cantigas” de Francisco Ribeiro (1942)

– “Aniki-Bóbó” de Manuel de Oliveira (1942)

– “Ala-Arriba!” de José Leitão de Barros (1942)

– “O Costa do Castelo” de Arthur Duarte (1943)

– “A Menina da Rádio” de Arthur Duarte (1944)

– “Camões” de José Leitão de Barros (1946)

– “Três Dias sem Deus” de Bárbara Virgínia (1946)

– “O Leão da Estrela” de Arthur Duarte (1947)

– “Capas Negras” de Armando de Miranda (1947)