Arranca hoje a 5.ª edição do Porto/Post/Doc com mais de uma centena de filmes de produção recente centrados no tema Ficções do Real, uma forma de demonstrar que a ficção é também uma forma de construir o real. Neste contexto, destaque à retrospetiva integral de António Reis e Margarida Cordeiro e aos três debates que marcam o Fórum do Real.

A cerimónia de abertura irá decorrer hoje, no Cinema Trindade, no Porto, pelas 21h45, com a exibição de “Kaiser: The Greatest Footballer Never to Play Football”, de Louis Myles. Uma história inacreditável de um jogador de futebol de topo que nunca chutou uma bola.

Sinopse

“Uma das mais fantásticas histórias reais do futebol alguma vez contada, sem nunca se chegar a ver um jogo de futebol. Rio de Janeiro, 1980: Carlos Henrique Cardoso, que toda a gente conhece como Kaiser, tem um sonho: ser jogador de futebol, e não vai deixar que pormenores, como o facto de não ter talento algum, travem a sua vontade de ser uma estrela.

De pseudo-jogador a estrela mundial, sem nunca dar um chuto numa bola. Kaiser convence todos das suas habilidades, sem nunca ter de as mostrar. Com a ajuda de amigos e jornalistas, vai mudando de clube, evitando jogar futebol, mas fazendo sempre grandes festarolas. Tinha um vício perigoso: o sexo. Contudo, isso nunca o impediu de ser, não o rei, mas o kaiser, porque era parecido, apenas parecido, com Franz Beckenbauer.”

A Competição Internacional conta com quatorze filmes em estreia nacional, que inclui alguns realizadores já conhecidos como Sergei Loznitsa com “Donbass”Robert Greene com “Bisbee’17” e Emma Davie e Peter Mettler com “Becoming Animal”.

O festival dedica ainda uma secção não-competitiva ao cinema português que inclui “Terra Franca”, de Leonor Teles“Extinção”, de Salomé Lamas“Sombra Luminosa”, de Mariana Caló e Francisco Queimadela“Deux, Trois Fois Branco”, de Boris Nicot, e ainda On Remote Places”, de Rui Manuel Vieira, e O Laboratório”, do mesmo realizador em parceria com Fernando José Pereira.

“Geni”, de Luís Vieira Campos (estreia mundial) e “Chico Fininho”, de Sério Fernandes, são ambos olhares sobre a cidade do Porto, mas em épocas diferentes: o primeiro é atual, enquanto que o segundo, com um dos primeiros papéis de Vítor Norte, data de 1982.

O Porto/Post/Doc decorre até dia 2 de dezembro no Teatro Municipal do Porto – Rivoli, Cinema Passos Manuel, Cinema Trindade, Planetário do Porto – Centro Ciência Viva, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e Escola das Artes – UCP.