Tema da colonização em foco nos próximos projetos de Taika Waititi

A Piki Films, a produtora de Taika Waititi e Carthew Neal, está a desenvolver vários projetos sobre os maori, da Nova Zelândia. O objetivo é mostrar os efeitos da colonização através dos olhos do povo indígena. As obras serão desenvolvidas por Neal e pelo produtor Morgan Waru, que passou a ocupar um cargo de tempo inteiro na produtora, depois de ter trabalhado com a Piki Films em vários projetos.

O primeiro projeto trata-se da adaptação do romance de Tina Makereti: “A Vida Imaginária de James Poneke”. A história envolve um curioso adolescente maori que se aventura na cidade londrina na década de 1840. Inicialmente, o jovem gosta da atenção que todos em Londres lhe prestam, mas rapidamente descobre que essa mesma atenção é devido ao rótulo de selvagem que lhe impuseram.

“Parece estranhamente oportuno ver agora essa história transformar-se em filme, quando testemunhamos a queda de estátuas de figuras ligadas à colonização”, disse Makereti em comunicado.

O projeto seguinte irá adaptar ao grande ecrã o espetáculo de stand-up comedy de Angella Dravid: “Down the Rabbit Hole”. O filme contará a história de quando Dravid fugiu para se casar com um homem com o triplo da sua idade do outro lado do mundo, antes de aterrar numa prisão britânica. A obra será escrita e realizada por Briar Grace-Smith.

O terceiro e último projeto será um thriller policial de Michael Bennett e Jane Holland: “Better the Blood”. A história segue um detetive maori que procura, de forma obsessiva, encontrar um serial killer indígena que vem vingando os erros dos colonizadores da Nova Zelândia.

A Piki Films, sediada em Auckland, na Nova Zelândia, esteve por detrás dos filmes com maior receita de bilheteira do país: “Jojo Rabbit” e “Hunt for the Wilderpeople”. Ambos foram dirigidos por Waititi e “The Breaker Upperers”, realizado por Madeleine Simi e Jackie van Beek, também terá sido um sucesso.