André Aciman, o autor do livro “Chama-me Pelo Teu Nome”, confirmou hoje pela sua conta do Twitter que está a escrever uma sequela do romance que Luca Guadagnino escolheu adaptar para o grande ecrã.

Pouco depois do argumentista James Ivory lançar a dúvida sobre o futuro do filme vencedor do Óscar de Melhor Argumento Adaptado deste ano, Aciman revelou aos seus fãs que está a escrever um novo romance. Pode ler-se na sua conta do Twitter: “Eu adorava que existisse uma sequela para ‘Chama-me Pelo Teu Nome’. E, de facto, estou a escrever uma”.

Armie Hammer, um dos atores principais do filme, reagiu com entusiasmo à confirmação do escritor no Twitter. A juntar a Hammer, também Timothée Chalamet mostrou interesse em voltar a interpretar Elio, a sua personagem no original.

Chalamet afirmou ainda que sabia que o cineasta italiano “realmente quer” uma sequela e ambos os protagonistas do filme original apoiam essa ideia.

Para já, James Ivory ainda não se manifestou quanto à sua posição sobre uma possível sequela. No entanto, afirmou ao The Film Stage que não consegue imaginar “ter de fazer com que Timothée Chalamet pareça ter 45 anos.”

O argumentista disse ainda que “ele não acha que é boa ideia”, referindo-se a Aciman. “Não se pode fazer uma sequela, sem ele dar luz verde. As personagens e a história são dele.”

Armie Hammer colaborou recentemente em Uma Luta Desigual, de Mimi Leder, um biopic sobre Ruth Bader Ginsburg, uma acérrima defensora da igualdade de direitos, e os seus esforços para se tornar juíza do Supremo Tribunal dos EUA.