O Nascimento do Cinema
120 Anos, 120 Filmes

Hoje comemoram-se os 120 anos do nascimento do cinema que se realizou a 28 de dezembro de 1895, no Grand Café de Paris, pela câmera dos irmãos Lumière; e que foi, também, a primeira sessão de cinema paga de que há registo. Nessa dia de premiere, foram exibidos vários filmes com duração aproximada de dois minutos e entre eles foram exibidos “A chegada do comboio à estação Ciotat” e “A saída dos trabalhadores da fábrica Lumière”, ambos realizados pelos próprios Lumière, os pioneiros do cinematógrafo.

A partir desta data deu-se uma revolução cultural que mudou para sempre a forma como vivemos e sentimos as histórias; das imagens mudas a preto e branco a imagens faladas e a cores, da celulóide ao digital. O cinema, ainda uma arte recente, criou uma linguagem própria que permitiu aos realizadores escreverem de diversas formas.

Relembrando as palavras de Robert Bresson, o cinema não é um meio de reprodução, mas de expressão: “I’d rather people feel a film before understanding it”. O cinema é acima de tudo sentimentos, sensações, expressões, emoções, projetadas em imagens em movimento. “No cinema, a arte consiste em sugerir emoções, e não em relatar factos. O Cinema cria uma vida surreal”. O cinema transporta o Homem para um sonho. “O cinema é sonho. É um sonho artificial. O cinema não será também ele um sonho?. Vou ao cinema do mesmo modo que adormeço.”. O cinema gera emoções e sonhos.

Em gesto de homenagem e comemoração, o Cinema 7ª Arte pretende assinalar esta data histórica com a criação de uma lista composta por 120 filmes que ilustrem os 120 anos do Cinema. Uma lista não passa disso mesmo, uma lista. Mas é ainda assim uma forma de recordar e de sugerir obras que marcaram o cinema. Nove membros do Cinema 7ª Arte (André Rui Graça, Eduardo Magueta, Helena Morais Soares, Nuno Oliveira, Leonor Reis, Regina Machado, Sérgio Miguel Silva, Sofia Correia Pinto, Tiago Resende) votaram nos filmes que mais os marcaram. Partilharam os seus gostos e formas diferentes de ver e pensar o cinema.

Não se pretende com esta lista ignorar ou menosprezar os restantes filmes, que são milhões, que ficaram de fora. Todos tem o seu merecido valor e um papel na história do cinema. Não existe apenas uma história do cinema. Existem muitas. E esta lista tenta contar uma dessas histórias.

Esta lista, pensada por nove membros do site, foi realizada através de um processo de votação (de 1 a 5 pontos) que cada membro atribuiu aos filmes. No total foram submetidos 680 filmes. No final, os filmes com maior pontuação integraram esta lista de 120 Filmes. Uma lista que representa 120 anos de história, de cinema (já não vivemos sem ele).

Muitas injustiças foram cometidas ao deixar de parte inúmeras obras obrigatórias e clássicos inquestionáveis. Mas não deixa de ser uma lista interessante que incluiu alguns filmes pouco conhecidos pelo público em geral.

“A Paixão de Joana d’Arc” (1928), de Carl Dreyer, foi o filme que obteve maior pontuação (33 pontos), seguindo-se “O Mundo a Seus Pés” (1941), de Orson Welles, com 31 pontos e “2001: Odisseia no Espaço” (1968), de Stanley Kubrick, com 28 pontos. Estes três foram os únicos filmes a conseguir reunir mais membros a votar (7 membros). O quarto mais votado foi “Viagem a Tóquio” (1953), com 24 pontos, e em quinto lugar ficou “O Padrinho” (1972), com 22 pontos.

Entre os realizadores com mais filmes está Stanley Kubrick e Andrei Tarkovsky com quatro filmes cada um. Com três filmes encontram-se os realizadores: Ki-duk Kim, Jean-Luc Godard, Akira Kurosawa, Roberto Rossellini, Alfred Hitchcock, Charlie Chaplin, Robert Bresson, Orson Welles e Hayao Miyazaki. A década de 1950 é a que está representada com mais filmes, vinte e três ao todo.

Quanto ao cinema português, os membros do Cinema 7ª Arte seleccionaram várias obras de realizadores nacionais, como por exemplo de Manoel de Oliveira, Fernando Lopes, Manuel Mozos, Paulo Rocha, João Botelho, João César Monteiro, Abi Feijó ou Miguel Gomes. Mas no final apenas o cineasta Pedro Costa conseguiu reunir mais votos, tendo aliás conseguido ter dois filmes seus na lista final, “No Quarto da Vanda” (2000) e “Cavalo Dinheiro” (2014). Este último foi um dos filmes que recebeu menor pontuação (8 pontos).

Há 120 anos que esta máquina projecta luz, reflectindo as nossas vidas e sonhos numa tela branca. “O cinema é o espelho da vida e não só é o espelho da vida como não há outro. O único espelho da vida é o cinema. Sendo o espelho da vida, é também a memória da vida.”, disse Manoel De Oliveira.

Celebramos hoje o ato de ver cinema, numa sala escura, acompanhados por familiares e/ou amigos.

120 anos, é uma bela idade!

Lista dos 120 Filmes:

  1. Nascimento de uma Nação (The Birth of a Nation, 1915), de D.W. Griffith
  2. O Gabinete do Dr. Caligari (Das Cabinet des Dr. Caligari, 1920), de Robert Wiene
  3. O Garoto de Charlot (The Kid, 1921), de Charlie Chaplin
  4. Nanook, o Esquimó (Nanook of the North, 1922), de Robert J. Flaherty
  5. Nosferatu, o Vampiro (Nosferatu, eine Symphonie des Grauens, 1922), de F.W. Murnau
  6. O Couraçado Potemkin (Bronenosets Potemkin, 1925), de Sergei M. Eisenstein
  7. Metropolis (1927), de Fritz Lang
  8. O Cantor de Jazz (The Jazz Singer, 1927), de Alan Crosland
  9. A Paixão de Joana D’Arc (La passion de Jeanne d’Arc, 1928), de Carl Theodor Dreyer
  10. Uma Noite Aconteceu (It Happened One Night, 1934), de Frank Capra
  11. O Triunfo da Vontade (Triumph des Willens, 1935), de Leni Riefenstahl
  12. Tempos Modernos (Modern Times, 1936), de Charlie Chaplin
  13. O Grande Ditador (The Great Dictator, 1940), de Charlie Chaplin
  14. O Mundo a Seus Pés (Citizen Kane, 1941), de Orson Welles
  15. Relíquia Macabra (The Maltese Falcon, 1941), de John Huston
  16. Casablanca (1942), Michael Curtiz
  17. Roma, Cidade Aberta (Roma città aperta, 1945), de Roberto Rossellini
  18. Ladrões de Bicicletas (Ladri di biciclette, 1948), de Vittorio De Sica
  19. Alemanha Ano Zero (Germania anno zero, 1948), de Roberto Rossellini
  20. Crepúsculo dos Deuses (Sunset Blvd., 1950), de Billy Wilder
  21. Às Portas do Inferno (Rashômon, 1950), de Akira Kurosawa
  22. Brincadeiras Proibidas (Jeux interdits, 1952), de René Clément
  23. Humberto D (Umberto D., 1952), de Vittorio De Sica
  24. Viagem em Itália (Viaggio in Italia, 1953), de Roberto Rossellini
  25. Viagem a Tóquio (Tôkyô monogatari, 1953), de Yasujirô Ozu
  26. Johnny Guitar (1954), de Nicholas Ray
  27. A Estrada (La strada, 1954), de Federico Fellini
  28. O Intendente Sansho (Sanshô dayû, 1954), de Kenji Mizoguchi
  29. A Palavra (Ordet, 1955), de Carl Theodor Dreyer
  30. Noite e Nevoeiro (Nuit et brouillard, 1955), de Alain Resnais
  31. Fúria de Viver (Rebel Without a Cause, 1955), de Nicholas Ray
  32. A Desaparecida (The Searchers, 1956), de John Ford
  33. Os Sete Samurais (Shichinin no samurai, 1957), de Akira Kurosawa
  34. O Sétimo Selo (Det sjunde inseglet, 1957), de Ingmar Bergman
  35. Meu Tio (Mon oncle, 1958), de Jacques Tati
  36. A Sede do Mal (Touch of Evil, 1958), de Orson Welles
  37. A Mulher que Viveu Duas Vezes (Vertigo, 1958), de Alfred Hitchcock
  38. Os 400 Golpes (Les quatre cents coups, 1959), de François Truffaut
  39. O Carteirista (Pickpocket, 1959), de Robert Bresson
  40. Bom Dia (Ohayô, 1959), de Yasujirô Ozu
  41. Sombras (Shadows, 1959), de John Cassavetes
  42. Hiroshima, Meu Amor (Hiroshima mon amour, 1959), de Alain Resnais
  43. O Acossado (À bout de souffle, 1960), de Jean-Luc Godard
  44. Psico (Psycho, 1960), de Alfred Hitchcock
  45. Lawrence da Arábia (Lawrence of Arabia, 1962), de David Lean
  46. A Infância de Ivan (Ivanovo detstvo, 1962), de Andrei Tarkovsky
  47. O Homem que Matou Liberty Valance (The Man Who Shot Liberty Valance, 1962), de John Ford
  48. Fellini Oito e Meio (8½, 1963), de Federico Fellini
  49. O Desprezo (Le mépris, 1963), de Jean-Luc Godard
  50. Os Pássaros (The Birds, 1963), de Alfred Hitchcock
  51. Doutor Estranhoamor (Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb, 1964), de Stanley Kubrick
  52. A Máscara (Persona, 1966), de Ingmar Bergman
  53. Peregrinação Exemplar (Au hasard Balthazar, 1966), de Robert Bresson
  54. O Bom, o Mau e o Vilão (Il buono, il brutto, il cattivo, 1966), de Sergio Leone
  55. História de um Fotógrafo (Blowup, 1966), de Michelangelo Antonioni
  56. Amor e Morte (Mouchette, 1967), de Robert Bresson
  57. 2001: Odisseia no Espaço (2001: A Space Odyssey, 1968), de Stanley Kubrick
  58. A Quadrilha Selvagem (The Wild Bunch, 1969), de Sam Peckinpah
  59. Laranja Mecânica (A Clockwork Orange, 1971), de Stanley Kubrick
  60. O Padrinho (The Godfather, 1972), de Francis Ford Coppola
  61. F de Falso (F for Fake, 1973), de Orson Welles
  62. O Espelho (Zerkalo, 1975), de Andrei Tarkovsky
  63. Taxi Driver (1976), de Martin Scorsese
  64. Annie Hall (1977), de Woody Allen
  65. O Caçador (The Deer Hunter, 1978), de Michael Cimino
  66. Stalker (1979), de Andrei Tarkovsky
  67. Apocalypse Now (1979), de Francis Ford Coppola
  68. A Vida de Brian (Life of Brian, 1979), de Terry Jones
  69. Shinning (The Sinning, 1980), de Stanley Kubrick
  70. O Touro Enraivecido (Raging Bull, 1980), de Martin Scorsese
  71. Fitzcarraldo (1982), de Werner Herzog
  72. Sans soleil (1983), de Chris Marker
  73. Nostalgia (Nostalghia, 1983), de Andrei Tarkovsky
  74. Paris, Texas (1984), de Wim Wenders
  75. Ran – Os Senhores da Guerra (Ran, 1985), de Akira Kurosawa
  76. Vem e Vê (Idi i smotri, 1985), de Elem Klimov
  77. Veludo Azul (Blue Velvet, 1986), de David Lynch
  78. As Asas do Desejo (Der Himmel über Berlin, 1987), de Wim Wenders
  79. O Túmulo dos Pirilampos (Hotaru no haka, 1988), de Isao Takahata
  80. Histoire(s) du Cinéma (1988), de Jean-Luc Godard
  81. O Meu Vizinho Totoro (Tonari no Totoro, 1988), de Hayao Miyazaki
  82. Cinema Paraíso (Nuovo Cinema Paradiso, 1989), de Giuseppe Tornatore
  83. O Clube dos Poetas Mortos (Dead Poets Society, 1989), de Peter Weir
  84. O Silêncio dos Inocentes (The Silence of the Lambs, 1991), de Jonathan Demme
  85. Lista de Schindler (Schindler’s List, 1993), de Steven Spielberg
  86. Querido Diário (Caro diario, 1993), de Nanni Moretti
  87. O Rei Leão (The Lion King, 1994), de Roger Allers, Rob Minkoff
  88. Pulp Fiction (1994), de Quentin Tarantino
  89. Os Condenados de Shawshank (The Shawshank Redemption, 1994), de Frank Darabont
  90. Chungking Express (Chung Hing sam lam, 1994), de Kar-wai Wong
  91. Era Uma Vez um País (Underground, 1995), de Emir Kusturica
  92. Toy Story: Os Rivais (Toy Story, 1995), de John Lasseter
  93. A Vida é Bela (La vita è bella, 1997), de Roberto Benigni
  94. Fogo de Artifício (Hana-bi, 1997), de Takeshi Kitano
  95. Titanic (1997), de James Cameron
  96. A Princesa Mononoke (Mononoke-hime, 1997), de Hayao Miyazaki
  97. A Barreira Invisível (The Thin Red Line, 1998), de Terrence Malick
  98. Clube de Combate (Fight Club, 1999), de David Fincher
  99. Tudo Sobre a Minha Mãe (Todo sobre mi madre, 1999), de Pedro Almodóvar
  100. Uma História Simples (The Straight Story, 1999), de David Lynch
  101. Disponível para Amar (Fa yeung nin wa, 2000), de Kar-wai Wong
  102. O Bordel do Lago (Seom, 2000), de Ki-duk Kim
  103. No Quarto da Vanda (2000), de Pedro Costa
  104. A Viagem de Chihiro (Sen to Chihiro no kamikakushi, 2001), de Hayao Miyazaki
  105. O Senhor dos Anéis – A Irmandade do Anel (The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring, 2001), de Peter Jackson
  106. O Quarto do Filho (La stanza del figlio, 2001), de Nanni Moretti
  107. A Arca Russa (Russkiy kovcheg, 2002), de Aleksandr Sokurov
  108. O Pianista (The Pianist, 2002), de Roman Polanski
  109. Cidade de Deus (2002), de Fernando Meirelles, Kátia Lund
  110. Primavera, Verão, Outono, Inverno… e Primavera (Bom yeoreum gaeul gyeoul geurigo bom, 2003), de Ki-duk Kim
  111. O Despertar da Mente (Eternal Sunshine of the Spotless Mind, 2004), de Michel Gondry
  112. Ferro 3 (Bin-jip, 2004), de Ki-duk Kim
  113. Ninguém Sabe (Dare mo shiranai, 2004), de Hirokazu Koreeda
  114. Uma Família à Beira de um Ataque de Nervos (Little Miss Sunshine, 2006), de Jonathan Dayton, Valerie Faris
  115. A Origem (Inception, 2010), de Christopher Nolan
  116. O Mágico (L’illusionniste, 2010), de Sylvain Chomet
  117. A Árvore da Vida (The Tree of Life, 2011), de Terrence Malick
  118. Amor (Amour, 2012), de Michael Haneke
  119. Interstellar (2014), de Christopher Nolan
  120. Cavalo Dinheiro (2014), de Pedro Costa