5   +   2   =  

De abril a outubro, nove municípios da região de Viseu vão receber Cine Concertos – Fora de Portas, no âmbito da Rede Cultural Viseu Dão Lafões, organizado pelo Cine Clube de Viseu. Um programa de filmes onde os músicos revisitam as memórias, rostos, histórias por detrás das imagens, explorando novos caminhos em filmes antigos.

“Uma das coisas bonitas do programa é não escamotear que está ali um património em vias de desaparecimento e fazer com isso outra história além daquela, a original do filme. Em tons mais subtis ou enérgicos. É nesta mitologia sem tempo que o programa ancora.”

“Cine Clubes como o de Viseu perceberam que a crise de “público” do cinema não será apenas conjuntural a menos que tomem decisões importantes sobre o próprio papel que o cinema pode ter e a forma como pode atuar numa região. Incluindo as nossas escolas e o visionamento de filmes em contexto educativo. São, em todo o caso, pequenos passos – projecções para várias idades, investir na descoberta de autores clássicos e sua contextualização histórica, etc.”

Ao todo são nove cine-concertos, que inclui obras como “O Navegante” (1924), de Buster Keaton, “O Emigrante” (1917), de Charlie Chaplin, “Os Lobos” (1923) e “Mulheres da Beira” (1923), ambos de Rino Lupo.

A primeira sessão acontece a 13 de abril, no Convento de São José, em São Pedro do Sul, com a exibição de “O Vento” (1928), de Victor Sjöström, musicado ao vivo por Filipe Raposo. O mestre Sjöström troca as paisagens geladas dos seus filmes suecos pela aridez do deserto americano, centrando a história na solidão e incomunicabilidade de uma mulher, com a inesquecível presença de Lillian Gish, uma das maiores atrizes e divas do cinema da época.

São Pedro do Sul, Oliveira de Frades, Mangualde, Vila Nova de Paiva, Aguiar da Beira, Nelas, Sátão, Castro Daire e Tondela vão receber o Cine Concertos – Fora de Portas, que resulta “de um longo trabalho do Cine Clube de Viseu com os vários municípios, com vista a criar condições de apresentação do programa em espaços com uma história e identidade próprias, e que desafiam o público a conhecer e a regressar. O programa completo tem uma boa dezena de filmes de todos os géneros à espera da música que fará as delícias de miúdos e graúdos.”