O realizador grego Costa-Gavras, de 86 anos, inspirou-se no livro de memórias políticas “Adults in the Room: My Battle with Europe’s Deep Establishment”, do político grego Yanis Varoufakis, para seu mais recente filme. “Comportem-se como Adultos”, sobre a crise da dívida grega em 2015, integra a Selecção Oficial – Fora de Competição do 19º Lisbon & Sintra Film Festival.

Com uma produtiva carreira no cinema, Costa-Gavras sempre expôs suas convicções políticas em filmes que vão de “A Confissão” (1970), “Desaparecido: Um Grande Mistério” (1982), “Amém” (2002), ao seu mais famoso “Z” (1969), que denunciou a ditadura de coronéis na Grécia e ganhou dois prémios no Óscar.

“Comportem-se como Adultos” nos insere numa saga de 124 minutos de reuniões do Eurogrupo. Negociações que levaram meses e uma imposição de políticas de austeridade pela troika europeia (a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional) ao governo de esquerda “radical” de Alexis Tsipras.

Economista sem experiência política, Yanis Varoufakis foi nomeado ao cargo de Ministro das Finanças após a vitória do partido Syriza em janeiro de 2015. No filme, Yanis é interpretado pelo óptimo e convincente Christos Loulis (“Não me Ames”).

Começa, então, a saga de Yanis para salvar o país da falência. Ele propõe uma reestruturação da dívida grega, uma vez que a austeridade imposta nos cinco anos anteriores apenas piorou a situação (a dívida aumentou enquanto a renda doméstica diminuiu).

Modificar um termo no Memorando de Entendimento, criar um plano B secreto em caso de saída do euro, evitar o fechamento dos bancos gregos… O tempo todo Yanis tenta persuadir seus oponentes, em um enredo de acção que entusiasmará muito mais os amantes das relações internacionais e da política do que os da sétima arte.

Em uma das tantas cenas da reunião do Eurogrupo, um dos políticos, inconformado com o rumo da discussão, diz: “Como as pessoas comuns podem decidir sobre questões económicas complexas?”. Só mesmo um realizador como Costa-Gravas para simplificar essa burocracia toda. Apesar da complexidade do tema, «Comportem-se como Adultos» é um filme instigante, acessível, irónico (a começar pelo título) e com momentos diríamos até engraçados para uma tragédia que ainda afecta o quotidiano dos gregos, “um povo que sobrevive heroicamente”.

«Comportem-se como Adultos» - ou a saga de Yanis Varoufakis por Costa-Gravas
4.0Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos