Destaque da Semana: “Fado Camané”O destaque da semana vai para “Fado Camané”, um documentário realizado por Bruno de Almeida – que assinou “Amália, Estranha Forma de Vida” (a propósito do qual conheceu Camané), “The Lovebirds” (em que o seu contributo teve um papel essencial) e também o vídeo de “Sei de um rio” –, “Fado Camané” estreou-se na abertura da secção Heart Beat do DocLisboa 2014. “Fado Camané” estreia hoje nas salas de cinema nacionais.

Carlos Manuel Moutinho Paiva dos Santos nasceu em Oeiras, em 1967. Doze anos depois, vencia a Grande Noite do Fado. Ao longo da carreira, passaria pelos palcos de Filipe La Féria, recriaria António Variações no projecto Humanos, daria voz a música para cinema e, acima de tudo, tornar-se-ia um dos maiores nomes do fado da sua geração. Versatilidade. Emoção. Tradição enriquecida com a dose certa de risco. Tudo isto faz parte da personalidade artística de Camané. E tudo isto se conjuga num filme que oferece uma luz sobre o seu processo criativo. Duas pessoas ocupam lugares determinantes: José Mário Branco, produtor e director musical, e Manuela de Freitas, poetisa. Porque é nesta trindade de música, poesia e interpretação que Camané se destaca e define a sua essência. E é sobre ela que o filme se detém. Em jeito de “fadocumentário”, o realizador entra em estúdio e acompanha as gravações do álbum “Sempre de Mim” (2008), registando as cumplicidades, subtilezas e intensidades do trabalho. O resultado é “Fado Camané”, que chega às salas de cinema um ano depois da compilação “O Melhor | 1995-2013”, disco duplo que reúne os momentos mais marcantes do percurso do fadista, desde a estreia discográfica com “Uma Noite de Fados” (1995).

Sinopse: Cinecartaz Público