O destaque da semana é “Trumbo”, realizado por Jay Roach e escrito por John McNamara, um drama que adapta a obra biográfica sobre Dalton Trumbo escrita, em 1977, por Bruce Alexander Cook. O elenco conta com Bryan Cranston, Diane Lane, Helen Mirren, Louis C.K., Elle Fanning, John Goodman e Michael Stuhlbarg, entre outros. “Trumbo” chega hoje às salas de cinema nacionais.

James Dalton Trumbo nasceu em Montrose, EUA, a 9 de Dezembro de 1905. Aos 30 anos estreou-se com “Eclipse”, o seu primeiro romance. Já em 1939 escreveu “Johnny Vai à Guerra”, um clássico pacifista premiado com um National Book Award. Durante a década de 1940, com provas dadas na Sétima Arte, era já um dos argumentistas mais bem pagos de Hollywood, escrevendo sucessos de bilheteira como “Kitty – A Rapariga da Gola Branca” (que lhe valeu a primeira nomeação para um Óscar na categoria de melhor argumento adaptado), “Trinta Segundos sobre Tóquio” (1944) ou “Ternura“ (1945). Em 1947, ele e nove outras personalidades foram chamados a depor na comissão parlamentar de inquérito da Câmara dos Representantes dos EUA, presidida pelo senador Joseph McCarthy (1908-1957), cuja função era averiguar a suposta infiltração de comunistas na indústria cinematográfica. Trumbo recusou-se a acusar os colegas e foi condenado por desobediência civil, passando a integrar a primeira lista negra de Hollywood e obrigado a cumprir onze meses de prisão no estado de Kentucky. Após cumprir pena, muda-se com a família para o México. Ali, não desiste de trabalhar e arrisca escrever argumentos para cinema usando pseudónimos, arrecadando secretamente dois Óscares com os filmes “Férias em Roma” (1953), de William Wyler, e “O Rapaz e o Touro” (1956), de Irving Rapper. Mais tarde, com o apoio do realizador Otto Preminger, viu o seu nome ser creditado em “Exodus” (1960). Logo em seguida, Kirk Douglas tornou público que foi ele o responsável pelo argumento de “Spartacus” (1960), de Stanley Kubrick. Com isto, Trumbo foi reintegrado no Writers Guild of America, o sindicato dos argumentistas de Hollywood, e passou a ser creditado por todos os seus trabalhos. O seu último argumento para cinema foi com filme “Papillon” (1973), de Franklin J. Schaffner. “Night of the Aurochs”, publicado postumamente em 1979, foi o seu derradeiro romance. A 10 de Setembro de 1976, com 70 anos de idade, Dalton Trumbo tem um ataque cardíaco que se revelou fatal.

Sinopse: Cinecartaz Público