Nomeados da língua portuguesa aos Prémios Goya 2022

Estão escolhidos os candidatos de Portugal às categorias de Melhor Filme Europeu e Melhor Filme Ibero-Americano aos Prémios Goya 2022.

Ordem Moral”, realizado por Mário Barroso e com produção de Paulo Branco (Leopardo Filmes) e “Listen” da realizadora Ana Paula Rocha com produção de Rodrigo Areias (Bando à Parte) foram os filmes selecionados pela direcção da Academia Portuguesa de Cinema para representar Portugal nos candidatos à 36ª edição dos Goya, que terá lugar no dia 12 de fevereiro de 2022. Os filmes foram selecionados entre todos os candidatos elegíveis, estreados entre 1 de setembro de 2020 e 31 de julho de 2021, condição necessária para esta nomeação.

A Academia Portuguesa de Cinema já tinha selecionado o filme “Ordem Moral“, como o representante de Portugal aos Prémios Ariel 2021, na categoria de Melhor Filme Ibero-americano. Fez parte, no ano passado, da Selecção Oficial da sua 33ª edição do Tokyo International Film Festival. Já este ano, foram anunciadas as suas nomeações no âmbito dos Prémios Sophia, a saber, com 10 nomeações,: Melhor Filme, Melhor Actriz (Maria de Medeiros), Melhor Argumento Original (Carlos Saboga), Melhor Actor Secundário (Albano Jerónimo), Melhor Fotografia (Mário Barroso), Melhor Som (Pedro Góis e Ricardo Leal), Melhor Banda Sonora Original (Mário Laginha), Melhor Direcção Artística (Paula Szabo), Melhores Efeitos Especiais / Caracterização (Dave Bonneywell e Rita Anjos), Melhor Maquilhagem e Cabelos (Ana Lorena e Natália Bogalho). Está igualmente nomeado para os Globos de Ouro de Melhor Actriz (Maria de Medeiros) e Melhor Filme.

O filme “Listen”, de Ana Rocha de Sousa, foi o vencedor de quatro prémios na 77.ª edição do Festival de Veneza, no ano passado. O filme venceu o prémio ‘Leão de Futuro’, e o prémio especial do júri ‘Horizontes’. Foi ainda discutido que poderia ser a nossa indicação portuguesa ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, mas acabou por falhar a nomeação por falhar os critérios de selecção.

No que diz respeito ao Brasil, a longa “A Febre“, de Maya Da-Rin foi escolhida para representar o país, também na disputa pelo Melhor Filme Ibero-Americano neste Prémio Goya. A votação aconteceu na manhã desta segunda-feira (23) — a obra competiu com títulos como “Aos Olhos de Ernestoe “Todos os Mortos.

A Febre teve sua primeira exibição mundial em 2019 na abertura do Concorso Internazionale do 72º Festival Internacional de Locarno, na Suíça,onde foi vencedor de três prémios: o Leopardo de Ouro de Melhor Actor para Regis Myrupu, o prémio da crítica internacional FIPRESCI e o prémio Especial “Environment is Quality of Life” concedido pelo júri jovem. Participou em mais de 60 festivais no Brasil e no exterior, como os festivais de Toronto, Rotterdam e New Director New Films, tendo recebido mais de 30 prémios, entre eles o de Melhor Filme nos festivais de Pingyao (China), Biarritz (França), IndieLisboa (Portugal) e Mar del Plata (Argentina), e Melhor Realização no Festival Internacional de Chicago (USA) e no Festival do Rio (Brasil). O filme foi ainda o vencedor do 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, tendo ganho os prémios de Melhor Filme, Melhor Realização, Melhor Actor, Melhor Fotografia e Melhor Som. O filme acompanha a rotina de Justino (Regis Myrupu), um indígena que trabalha como guarda de segurança no porto de Manaus, no Amazonas. Reveja a nossa crítica ao filme aqui, por Letícia Mendes.

Os Prémios Goya são os mais importantes galardões da indústria cinematográfica espanhola.

Skip to content