A quebra com o passado e a expectativa para o futuro.

E entramos na primeira década de 2000, o período de tempo a que eu chamo “animação pós Toy Story”. Treze filmes foram criados entre 2000 e 2010, sendo o ultimo deles o quinquagésimo filme de animação Disney “Entrelaçados”.

 

Este é o período onde mais se viu a união entre a Disney e a Pixar a funcionar após o sucesso que foi “Toy Story”, sendo que a maioria das longas metragens Disney são feitas pela Pixar, realizadas inteiramente em animação por computador. Contudo os estúdios de animação criados por Walt Disney não deixaram de criar e continuou-se a ver alguns filmes intieiramente realizados pela companhia do rato Mickey a aparecer nas salas de cinema. Mas por algum motivo, a magia simplesmente deixou de ser a mesma.

 

Em primeiro lugar nota-se neste ultimo período um afastamento (embora não total) dos musicais que tantos Óscares valeram á companhia. Os filmes começaram a ter toda uma atmosfera diferente, talvez numa busca de se encontrar com o seu publico alvo, que embora ainda seja maioritariamente composto por crianças, está claramente diferente em relação de interesses no que toca a filmes.

 

Mas esquecendo estes tópicos vou partir para o filme que escolhi como o filme da década. Mais uma vez não escolhi aquele que possa ser unanimemente considerado o melhor, escolhi aquele que melhor caracteriza a Disney nesta nova era, escolhi o filme que consegue manter uma réstia de alma Disney dentro dele ao mesmo tempo que é quase completamente diferente a tudo o anteriormente feito. Escolhi então “The Emperor’s New Groove”.

 

Este filme marca uma mudança interessante, ou melhor, marca o inicio da mudança. Ainda mantém alguns números musicais é verdade, que por sinal até são bastante agradáveis, mas este filme utiliza um estilo de comédia que o afasta de todos os outros filmes feitos pela Disney até então e aproxima-se mais do estilo usado pela Warner Brothers nos seus Looney Tunes; o que até nem é mau pois este é para mim o filme mais cómico que a Disney lançou em toda a sua história. Kuzco (a personagem principal) e  acima de tudo, Kronk (o assistente da má da fita) fazem-me rir com quase todas as suas falas e acções amalucadas, que vão desde a aprender a caminhar como um Lama até saltar á corda como criancinhas enquanto se cria um plano maléfico; neste filme tudo serve para fazer rir.  Quanto á animação em si, o estilo do desenho também é bastante diferente do normal. O único que se  pode aproximar a “The Emperor’s New Groove”é o filme “Hércules”, lançado alguns anos antes, e o facto da narrativa do filme se passar durante o período do império Inca ajuda também a este estilo imagético distinto.

 

Este filme teve ainda direito a uma sequela (bastante aquém do primeiro filme) lançada directamente para DVD chamada “Kronk’s New Groove” onde a personagem cómica do filme original ganha mais protagonismo e uma série de TV a passar ainda no Disney Channel chamada “A nova escola do Imperador” (The Emperor’s New School) que consegue manter o espírito do filme bem como a qualidade narrativa e cómica. Se me perguntarem então qual é o filme mais marcante da era Disney anos 2000 eu digo que é “Pacha e o Imperador” (este é o titulo dado em Portugal ao filme).

 

Quanto ao futuro das longas metragens Disney, só o futuro poderá revelar o que aí vem. Para já pode-se notar uma certa tentativa nostálgica por parte da Disney em regressar á sua formula antiga, pelo menos com o seu filme “A princesa e o sapo” ,  que, embora este não me tenha convencido assim muito em termos qualitativos, merece uma menção honrosa, já que a banda sonora é muito boa e a estética do filme como que diz ao publico que a disney ainda nao se esqueceu de como se faz um bom filme á moda antiga. Quanto a  este novo filme, “Entrelaçados”, que regressa tal como “A princesa e o Sapo” mais uma vez aos antigos contos de fadas, mas que em nada se parece comparar com um “Bela e o Monstro” ou  nem mesmo a um “Pocahontas”. Mas é esperar para ver. Quanto a mim pelo menos sei que enquanto a Disney continuar a lançar filmes de animação, eu hei de continuar a ir vê-los ao cinema.

 

Termina assim a semana Disney…