O Ícaro volta a voar em 2019. Depois de ter sido reaberta a sala de cinema das Galerias Ícaro, em Viseu, durante o Desobedoc 2018, o cinema Ícaro vai voltar abrir as suas portas nos dias 27, 28 e 29 de setembro para receber a sétima edição da Sementeira.

Organizada pelo Bloco de Esquerda de Viseu, a Sementeira 7 “celebra o místico número 7 com a missão de fecundar um novo jardim. O desafio desta edição é rechear de arte e vida as Galerias Ícaro, através da reabertura da sala de cinema e da ocupação criativa dos seus espaços.”

“A Sementeira 7 conserva o espírito que sempre a animou, mas adapta-se a um novo solo porque o clima mudou. Se em anos anteriores o projecto se oferecia em terreno contíguo aos Jardins Efémeros entretanto suspensos, desta vez avança para o enorme baldio murado em que se tornou a sala de cinema Ícaro e seus espaços adjacentes, semeando no mesmo terreno onde o Desobedoc frutificou há pouco mais de um ano, buscando recuperar o espaço como terreno de cultivo, horta de uma desejável cultura comunitária.”

“Serão 3 dias de trocas sem fins lucrativos, com propostas nutritivas – refeições servidas por colectivos com novas propostas gastronómicas – e a alegria própria do cumprir de mais um ciclo natural, em lugar onde, trabalhar e festejar se entre polinizam na demanda de futuras colheitas.”

A Sementeira 7 sugere um programa que reflecte sobre o ambiente, os fascismos, o interior, a luta LGTI+ e os feminismos. Na sexta-feira, dia de abertura, destacamos o filme “Um Punk Chamado Ribas”, de Paulo Miguel Antunes, um documentário sobre o falecido João Ribas, músico que esteve na origem das bandas Tara Perdida, Censurados e Ku de Judas, tendo ainda participado em vários outros projectos como Kamones e Osso Ruído. A sessão, que contará com a presença do realizador, termina com um concerto de punk ´Do It Yourself´ (`Faça Você Mesmo`) com António Baptista (Basalto, Angriff), António Fonseca (Zurrapa, Nexo, DaFonseca, Xunga Revenge), Miguel Maia ( Old Skull Inn ), Nuno Mendonça (Zurrapa, Basalto), Pedro Sales (Zurrapa, Inercia, Verniz, Arco Da Velha, On A Plain, Luna Celta ), Rui Costa (Dr. Molotov, Inercia, Madame Limousine, Arco Da Velha, On A Plain, Luna Celta ) e Vitor Vicente (Shiver, Bastardos do Cardeal).

No dia 28 de setembro será exibido o documentário “O Silêncio dos Outros”, um retrato da luta das vítimas do franquismo, em Espanha, e um dos mais importantes e premiados documentários do ano, é o filme de abertura do segundo dia da Sementeira. Realizado por Almudena Carracedo e Robert Bahar, e produzido por Pedro Almodóvar, o filme conquistou o Goya de Melhor Documentário e venceu o Prémio do Público da secção Panorama no Festival de Berlim. A sessão será comentada por Fernando Rosas.

À noite, no mesmo dia, vai decorrer uma grande sessão dedicada aos direitos LGBTI+, com a estreia da curta-metragem “O dia em que marchamos”, de João Figueiredo e Inês Cortes, sobre a realização da primeira Marcha de Viseu pelos direitos LGBTI+, que contou com mais de mil pessoas. Segue-se um momento muito especial para a cidade viseense, com um verdadeiro canto ao amor, com a exibição de “Un Chant D’Amour”, de Jean Genet, um ensaio poético sobre a homossexualidade musicado ao vivo pela Ana Deus e Guilherme Magalhães. Este momento da belíssima curta de Jean Genet termina com a interpretação do texto “O Meu Transgénero é um campo de batalha”, um manifesto “que ataca o binarismo de género com a acutilância política e o lirismo indomável que o caracterizavam”, escrito por Sérgio Vitorino e de António Alves Vieira. A sessão termina com o concerto de Filipe Sambado, de estilo mais andrógino, um dos dos nomes mais sonantes do panorama musical português, que combatem a discriminação sexual, de género e racial.

Durante os três dias haverá exposições, oficinas, workshops, performances, jantares vegans e muita animação nas Galerias Ícaro. No domingo, último dia da Sementeira 7, haverá um mega almoço do interior na Pousada de Portugal, com a presença da Catarina Martins.

Programa

27 de Setembro (sexta-feira)
17h30
Abertura das Exposições
21h45
Filme: Um Punk Chamado Ribas, de Paulo Miguel Antunes
Concerto: Tributo ao Punk!

28 de Setembro (sábado)
17h30
Filme: O Silêncio dos Outros, de Almudena Carracedo e Robert Bahar
21h45
Filme: O Dia em que Marchamos, de João Figueiredo e Inês Cortes
Filme: Un Chant D’Amour, de Jean Genet
(musicado ao vivo por Ana Deus e Guilherme Magalhães)
Performance/Manifesto: “O meu Transgénero é um campo de batalha”
Concerto: Filipe Sambado

29 de Setembro (domingo)
12h00 – Pousada de Portugal
Mega Almoço do Interior com Catarina Martins

Fonte: Sementeira