Oito anos depois de “José e Pilar” (2010), o realizador Miguel Gonçalves Mendes estreia a sua nova longa-metragem, “O Labirinto da Saudade”, um ensaio documental narrado pelo próprio Eduardo Lourenço, que chega às salas de cinema nacionais a 24 de maio.

“Miguel Gonçalves Mendes adapta ao cinema uma das obras mais lúcidas da cultura portuguesa – “O Labirinto da Saudade” de Eduardo Lourenço – numa viagem única pelo interior de uma mente brilhante. Aos 94 anos, o escritor e filósofo Eduardo Lourenço projecta pelos espaços da sua memória as perguntas que até hoje nele perduram. Que traumas nos definiram enquanto povo? Quem somos? O que fizemos? Que atrocidades cometemos? Quais os caminhos que podemos seguir? Estas questões são o ponto de partida para “O Labirinto da Saudade”, um filme sobre uma “nação condenada desde a sua origem a esgotar-se em sonhos maiores do que ela própria”, mas também a celebração da vida e obra de um dos maiores autores da cultura Portuguesa.”

O documentário é narrado e protagonizado pelo próprio Eduardo Lourenço, que pelo caminho se cruza com fantasmas do nosso passado e amigos do seu presente – figuras marcantes da cultura lusófona como Álvaro Siza Vieira, Abi Feijó, José Carlos Vasconcelos, Jorge Sampaio, Diogo Dória, Gonçalo M. Tavares, Lídia Jorge, Ricardo Araújo Pereira e Gregório Duvivier, que assumem o papel de interlocutores e condutores das reflexões escritas no livro. A banda sonora é de Noiserv.

“O Labirinto da Saudade” é a quinta longa-metragem realizada por Miguel Gonçalves Mendes, que deverá ainda estrear no final deste ano ou no inicio de 2019 o seu muito aguardado “O Sentido da Vida”.