Graças ao Cine Fiesta, uma mostra de cinema espanhol que decorre em Lisboa e no Porto até 2 de dezembro, temos a oportunidade de ver uma das melhores animações do ano, “Arrugas” (ou em português, “Rugas”), realizada por Ignacio Ferreras. Esta animação espanhola, orientada especificamente para os adultos, apesar de os mais novos também a poderem ver e apreciar, é inspirada na banda desenhada homónima de Paco Roca. “Arrugas” explora, de um modo bastante sério e realista, uma temática pouco comum no mundo da animação, a velhice. Ferreras trabalhou como animador no filme “O Mágico” (2010) de Sylvain Chomet, onde também é abordada a mesma temática de um outro ponto de vista.

“Arrugas” narra a história de um antigo agente bancário, Emilio, que depois de se reformar e de o seu filho ficar farto de cuidar dele, é internado num lar de idosos, num estado inicial de Alzheimer. Ai conhece Miguel que o ajuda a integrar-se no lar, dando a conhecer os outros colegas, e a ultrapassar a penosa doença, tentando que Emilio não seja levado para o piso superior da instituição, o temido andar dos “assistidos”, que é como ali chamam aos casos perdidos.

Se a adolescência é uma fase complicada na vida de qualquer pessoa, a velhice não é menos difícil. Pelo contrário, pode ser e pior fase, pois a solidão e o abandono podem dominar-nos. É o difícil processo de envelhecer-mos, em que aos poucos vemos os amigos a morrerem, ficando nós sozinhos e as doenças surgem. O filme aborda a temática do envelhecimento de forma sincera e realista, sem tabus, acompanhando o quotidiano de vários velhos no lar. Usufruindo de personagens muito ricas e divertidas e com bons diálogos, o filme faz-nos um retrato verdadeiro da solidão, abandono e da amizade. Recorrendo muitas vezes ao flashback e à imagem do presente misturada com a do passado, consegue ter os seus momentos mais emotivos e tocantes do filme, por vezes duros. Esta é mais uma animação 2D, que tão raras são hoje nos cinemas comerciais, de grande qualidade, com um traço artesanal maravilhoso, tal como acontece em “O Mágico”.

“Frankenweenie” e “ParaNorman” são bons filmes de animação, mas “Arrugas”, com o seu realismo, é a cereja em cima do bolo para 2012. “Arrugas” é um ternurento filme para adultos, que vai pôr muitas pessoas a pensar no assunto, pois a crítica para os adultos é perceptível. No final o realizador dedica o filme a todos os velhos de hoje e aos de amanhã (que somos nós).

Realização: Ignacio Ferreras

Argumento: Ángel de la Cruz, Ignacio Ferreras, Paco Roca

Elenco: Tacho González, Álvaro Guevara, Mabel Rivera

Espanha/2011 – Animação

Sinopse: Longa-metragem de animação 2D para um público adulto baseada na aclamada banda desenhada homónima de Paco Roca (Premio Nacional del Comic 2008). ‘Rugas’ narra a amizade entre Emilio e Miguel, dois idosos internados num lar. Emilio, que acaba de chegar num estado inicial de Alzheimer será ajudado por Miguel e outros colegas para não acabar no piso superior da instituição, o temido andar dos “assistidos”, que é como ali chamam aos casos perdidos. Este tresloucado plano traz humor e ternura ao entediante dia-a-dia do lar, pois embora para muitos a vida esteja a chegar ao fim, para este grupo ela só agora está a começar.

«Arrugas» – O difícil processo de envelhecermos
4.5Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos