cannes 2015_un certain regardA um dia de terminar a 68ª edição do Festival de Cannes (encerra dia 24 de maio), foram hoje anunciados os vencedores da secção Un Certain Regard. O filme islândes “Hrútar”, de Grimur Hákonarson, ganhou o prémio Un Certain Regard, o segundo mais importante do festival de Cannes. “Hrútar” conta, numa terra isolada da Islândia, a aproximação de dois irmãos zangados desde há quarenta anos. Juntos, os dois criadores vão lutar para salvar os seus animais.

A secção Un Certain Regard 2015 apresentou na competição 19 filmes provenientes de 21 países diferentes. Quatro das obras eram primeiros filmes. O filme de Abertura foi “An” de Naomi Kawase. Presidido por Isabella Rossellini (cineasta – Etados Unidos, Itália), o Júri foi composto por Haifaa al-Mansour (realizadora – Arábia Saudita), Panos H. Koutras (realizador – Grécia), Nadine Labaki (realizadora, atriz – Líbano), e Tahar Rahim (ator – França).

Nós, membros do júri, gostaríamos de agradecer ao Festival de Cannes por ter-nos convidado a fazer parte do Júri Un Certain Regard.
A experiência de visionar dezanove filmes, provenientes de vinte e um países diferentes ficará nas nossas memórias. Foi como apanhar um avião e sobrevoar o nosso planeta e os seus habitantes… Qualquer antropologista ficaria com inveja. Gostaríamos de agradecer particularmente Thierry Frémaux e a sua equipa pela incrível gentileza. Não posso deixar de exprimir pessoalmente a minha gratidão ao Festival por ter escolhido a minha mãe Ingrid Bergman para o cartaz do 68º Festival de Cannes. Mamã parece estar a sobrevoar por cima de nós todos, realizadores e cinéfilos, como um anjo da guarda. Obrigada.
“, disse Isabella Rossellini.

 

Prémio Un Certain Regard

Hrútar (Rams), de Grímur Hákonarson

Prémio do Júri

Zvizdan (The High Sun), de Dalibor Matanić

Prémio de Realização

Kiyoshi Kurosawa, por Kishibe No Tabi (Journey to the Shore)

Prémio Talento

Comoara (Treasure), de Corneliu Porumboiu

Prémio do Futuro

Masaan, de Neeraj Ghaywan

Nahid, de Ida Panahandeh