A organização do Festival de Cannes anunciou hoje que o realizador, argumentista e produtor australiano George Miller irá ser o Presidente da 69ª edição do Festival de Cannes, que se realizará entre os dias 11 a 22 de maio.

George Miller declarou: “Que imenso prazer! Estar no coração deste Festival carregado de história que revela as jóias do cinema mundial, passar horas a debater apaixonadamente com os meus colegas do Júri, é uma grande honra. Não perderia isto por nada deste mundo”!

Miller realizou a sua primeira longa-metragem em 1979, “Mad Max – As Motos da Morte”, iniciando uma saga, protagonizada por Mel Gibson, que viria a misturar géneros como o western e a ficção cientifica. Seguiram-se “Mad Max 2: O Guerreiro da Estrada” (1981), “Mad Max 3: Além da Cúpula do Trovão” (1985) e “Mad Max: Estrada da Fúria” (2015), filme que estreou fora de competição no Festival de Cannes 2015.

George Miller tem vindo a ganhar destaque como uma espécie de superestrela depois do sucesso de “Mad Max Estrada da Fúria”. Está um pouco por todo o lado tanto na imprensa dedicada à setima arte como na generalista. Dez vezes nomeado para os Óscares de 2016, nomeadamente para Melhor Filme e Melhor Realizador, acaba de receber nove troféus nos Critics Choice Awards, dos quais o de Melhor Realizador. Para muitos ele é apenas o criador da trilogia “Mad Max”, de um universo furioso de sangue, metal e violência, no entanto, foi premiado pela academia por “Happy Feet”(2006), o seu primeiro filme de animação, e “Um Porquinho Chamado Babe” (1995), realizado por Chris Noonan, filme que adaptou e produziu.

“Aos 70 anos, George Miller é internacionalmente defendido pela sua obra espectacular e jubilatória, tanto pelo seu eclectismo e pela sua inventividade como pela sua audácia. Com ele, será honrada a grande tradição do cinema de género. E será também um cinéfilo generoso e um homem de uma grande qualidade que o Festival de Cannes de 2016 receberá.”