Depois de “Singularidades de uma Rapariga Loura” (2009), Manoel de Oliveira realizou “O Estranho Caso de Angélica” (2010), um filme gravado em digital e com muitos efeitos especiais, que estreia finalmente em Portugal, depois de ter estreado primeiro em Cannes em 2010 (na abertura da secção Un Certain Regard), ter estreado em dezenas de festivais internacionais e nos EUA em Dezembro de 2010. “O Estranho Caso de Angélica” é um filme sobre o amor e a morte, baseado num argumento escrito em 1952 sobre uma experiência do realizador. O elenco é composto por Pilar López de Ayala, Ricardo Trêpa, Filipe Vargas e Leonor Silveira. O filme estreia hoje nos cinema nacionais.

 

Uma noite de tempestade, Isaac (Ricardo Trepa), um jovem fotógrafo e inquilino de uma modesta pensão da cidade da Régua, é chamado de urgência para fotografar Angélica (Pilar López de Ayala), uma jovem de famílias abastadas que morreu no próprio dia do seu casamento. Na casa da família enlutada, Isaac depara-se com a beleza quase sobrenatural da rapariga e, para seu assombro, no momento em que a olha através da objectiva, ela parece ganhar vida e sorrir-lhe. Aquele momento, simultaneamente mágico e aterrador, mudará irremediavelmente toda a existência do rapaz que, profundamente apaixonado, será para sempre perseguido por aquela visão e pelo fantasma de Angélica.

Sinopse: Cinecartaz Público