Directors Guild of America 2022: Jane Campion faz história

A realizadora Jane Campion fez história nos Directors Guild of America (DGA), os prémios do sindicato de realizadores de cinema, televisão e publicidade nos EUA, ao vencer o prémio de Melhor Realização pelo filme “O Poder do Cão”.

Benedict Cumberbatch e Kodi Smit-McPhee em “O Poder do Cão”

Jane Campion tornou-se na terceira mulher a vencer a categoria, em 74 anos de prémios da DGA, depois de Kathryn Bigelow, com “Estado de Guerra” em 2009 e de Chloé Zhao, com “Nomadland” em 2021.

Maggie Gyllenhaal venceu na categoria de Melhor Primeiro Filme, por “A Filha Perdida”, fazendo também história. Na categoria de Documentário, o prémio foi para Stanley Nelson Jr. por “Attica”.

A Filha Perdida

Os prémios da DGA são apontados como os melhores indicadores para os Óscares. Normalmente quem ganha este prémio vence, para além do Óscar de Melhor Realizador, o de Óscar de Melhor Filme. No entanto nem sempre isso acontece, tal como aconteceu em 2020: o vencedor dos DGA foi Sam Mendes, por “1917”, mas o vencedor do Óscar de Melhor Realização nesse ano foi Bong Joon Ho, por “Parasitas”.

De entre os nomeados deste ano, confira os principais vencedores:

Melhor Realização
Jane Campion, por The Power of the Dog

Melhor Primeiro Filme
Maggie Gyllenhaal, por The Lost Daughter

Melhor Realização em Documentário
Stanley Nelson, por Attica

Telefilme ou série limitada
Barry Jenkinsm, The Underground Railroad (HBO)

Skip to content