“O que se pretende é que quem assista, quer concorde, quer não com a atuação dos estudantes, consiga refletir sobre o que significa ativismo, num momento em que amplos setores brasileiros se esforçam pela sua criminalização”, diz Eliza Capai, a realizadora de “Espero Tua (Re)volta”.

O filme tenta compreender a recente história do Brasil a partir das lutas estudantis, fazendo uso de material inédito, reportagens da época e imagens de arquivo das marchas e ocupações. E faz isto a partir do olhar de três jovens pré-universitários: Lucas “Koka”, Marcela Jesus e Nayara Souza, que propõem diferentes pontos de vista e vivências, mas que têm em comum o ativismo por um ensino público de qualidade e por uma cidade mais inclusiva.

As lutas por direitos coletivos acabaram por render-lhes também importantes conquistas individuais: a partir dos debates de feminismo, temas LGBT e antirracismo realizados dentro das ocupações, os jovens transformaram as suas relações e as suas próprias formas de se verem e de se apresentarem no mundo.

O filme, vencedor de dois prémios na 69.ª edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim, estreia em exclusivo em Portugal no Videoclube da Zero em Comportamento, dia 24 de junho, às 21h.

Os filmes do videoclube da Zero em Comportamento podem ser vistos por 3€, durante 72 horas, mas também existem opções de subscrição anual ou semestral.

A subscrição anual pode ser paga mensalmente, por 4,92€ mensais, ou de uma única vez, pelo preço de 45,51€ (o que dá um preço de 3,8€ por mês). Existe ainda a opção de subscrever durante 6 meses ao preço de 25,83€ (o que significa um valor mensal de 4,31€).

No caso da subscrição, todos os conteúdos estão disponíveis, sem limite de tempo ou de visualizações.