Filmes em rodagem no Porto

A câmara do Porto está apoiar a produção de dois importantes filmes com projecção mundial, “Porto Mon Amour” e “O Sentido da Vida”, rodados na cidade, segundo confirmou Rui Moreira, no seu facebook: “No Porto, há dois filmes de projeção internacional que estão a ser rodados e a Câmara Municipal do Porto propõe-se apoiar a sua produção e levar o nome da cidade aos ecrãs de várias partes do mundo.”.

O primeiro, “Porto Mon Amour”, um filme indie do brasileiro Gabe Klinger que se encontra em fase de filmagens no Porto e que tem distribuição mundial garantida, numa autêntica declaração de amor à Invicta. O elenco é composto por atores portugueses e pela a estrela de Hollywood, Anton Yelchin e pela estrela francesa, Lucie Lucas. O filme, que tem Jim Jarmush como produtor executivo e coprodução de Rodrigo Areias, “tem como protagonista a cidade do Porto. Sendo hoje, mais do que nunca, espaço de encontro de pessoas de diferentes nacionalidades e gerações, o Porto reúne um conjunto de particularidades que o distinguem de todas as cidades do mundo e justificam a sua escolha para pano de fundo desta história”. Tem estreia prevista para 2016, nos cinemas do Porto.

Sinopse: Jake Kleemand, americano, e Mati Vargnier, francesa, partilham uma noite na cidade do Porto que lhes vai mudar a vida. Esta experiência marcante na vida de ambos vai sendo revelada ao longo do filme, em três momentos distintos (narrativos e estéticos). Como num enigma, percorremos a vivências de Jake e Mati desde da infância até à morte. Da altura em que se conhecem, passando pelo seu afastamento e reencontro anos mais tarde, vai sendo revelado aos poucos e com maior profundidade, até ao terceiro e derradeiro momento da narrativa no qual acompanhamos em detalhe a noite que partilharam como amantes. Uma noite de despreocupada intimidade e de crua paixão, consequências de um encontro que mudará para sempre a vida destas duas pessoas.

O segundo, o documentário “O Sentido da Vida” do realizador Miguel Gonçalves Mendes, é um projecto que o realizador está a desenvolver desde 2012, mas as filmagens só arrancaram em janeiro de 2015, no Porto. Miguel Gonçalves Mendes filmou a reabertura do cofre onde está o coração de D. Pedro IV, entregue à cidade pelo papel desta contra o absolutismo, com o objectivo de retratar, entre outros assuntos, a relação passada e presente entre Portugal e o Brasil. O filme tem uma co-produção luso-brasileira, sendo que está prevista a estreia mundial para seis países.

Sinopse: Miguel (um personagem), descobrindo que tem uma doença à qual pode não sobreviver, decide iniciar uma viagem sem rumo, pelos cinco continentes, à procura do sentido da vida, sem saber se esta jornada alguma vez terá fim. Simultaneamente, em pontos distintos do globo, seis personagens arquetipais ajudam a traçar um filme em trânsito, em que diferente histórias colidem e confluem para uma resposta a uma mesma pergunta: ”Qual o sentido da nossa existência?”. Não será possível colocar esta questão sem uma visão mais ampla e é daí que surge um sétimo arquétipo: um astronauta, que contempla o mundo do espaço e nos observa na nossa real insignificância. Ao fim de sete filmes, o realizador passa de uma temática centrada na morte para outra centrada nos que nos move – uma visão dos Homens como seres perdidos à procura de algo maior, como crianças à procura de uma ordem que as reja. Talvez Saramago tivesse razão e simplesmente o caos seja uma ordem por decifrar.

Atualizado às 16h26, de 6 de fevereiro de 2015.