Stewart Stern

Stewart Stern morreu na passada segunda-feira, 2 de fevereiro, argumentista do filme que tornou imortal James Dean, “Fúria de Viver” (1955), realizado por Nicholas Ray. Tinha 92 anos de idade. Faleceu no hospital de Seattle, após uma longa luta contra o cancro. Nascido em 1922, em Nova Iorque, o escritor chegou a combater durante a 2ª Guerra Mundial, tendo recebido por isso uma condecoração militar.

O eterno clássico “Fúria de Viver”, que retrata o comportamento dos adolescentes da geração do pós-guerra, é o filme pelo qual Stern ficou mais conhecido. “Sua Excelência, o Embaixador” (1963) e “Desejos de Verão, Sonhos de Inverno” (1973) são outros relevantes trabalhos. Também escreveu o argumento de “The Last Movie” (1971), a segunda longa-metragem realizada por Dennis Hopper. Recebeu a sua primeira nomeação para um Óscar em 1952, pelo filme “Teresa” e uma segunda nomeação em 1969, por “Raquel, Raquel”. Stern teve uma carreira como argumentista de mais de 50 anos, que passou pelo cinema e pela televisão.

Numa entrevista dada em 2011 ao El Paso Times, a propósito do seu trabalho mais conhecido, “Fúria de Viver”, Stern disse: “I realized it was a story about me, as everything I’ve ever done turned out to be”.

“Stewart Stern viveu muitas vidas!”, disse Howard A. Rodman, o presidente da Writers Guild of America West.