Wes Craven

O realizador americano Wes Craven faleceu este domingo, devido a um cancro no cérebro. Craven tinha 76 anos.

O célebre realizador nasceu há 76 anos atrás no estado americano de Ohio, no seio de uma estrita família cristã. Formou-se mais tarde com um mestrado em Filosofia e Escrita e começou a sua carreira no Cinema como Editor de Som numa companhia de pós-produção e também na escrita e produção de alguns filmes pornográficos (através de um pseudónimo). Depois disso veio o seu primeiro filme, “The Last House of the Left”, inspirado em “A Fonte da Virgem” de Ingmar Bergman. O sucesso do seu primeiro filme é acompanhado pelo sucesso ainda maior do seu segundo: “The Hills Have Eyes”. Wes Craven torna-se num realizador de culto para os amantes do Cinema de terror.

Em 1994  o realizador atingiu o pico da sua carreira com a realização de “O Pesadelo em Elm Street”. Com este filme Craven redefiniu o termo “Slasher film”, apresentou ao mundo a icónica personagem que é Freddy Krueger, deu o primeiro passo para um franchise de filmes enorme e ainda, com a narrativa do filme, que vagueava entre os sonhos das personagens e a realidade, permitiu  a criação de um trabalho de imagem que ainda hoje influencia milhares de novos realizadores pelo mundo fora. Como se Krueger e companhia não fossem suficiente, doze anos depois o realizador volta a repetir a dose e lança um novo franchise de sucesso sob o nome “Scream”. Novo assassino em série icónico, Ghostface, novas formas de filmar o horror e uma nova versão de uma velha narrativa, com espirito crítico, quase cómico, e até mesmo parodiando o género onde se insere e aquilo em que se foi tornando com o tempo.

O seu último trabalho como realizador foi “Gritos 4”, recebido com criticas maioritariamente positivas, embora sem o consenso de alguns dos seus filmes anteriores. “Gritos 4” teve também uma das melhores bilheteiras de fim de semana de estreia em 2011, provando que o público continua com Craven mesmo já no final da sua carreira.

De forma resumida, Wes Craven foi um visionário do audiovisual, mesmo trabalhando dentro daquele que é considerado um género menor, como é o Terror. Agarrou tanto o público como a crítica, criou lendas como Krueger, Ghostface ou a família Jupiter e acima de tudo deixa uma herança enorme de influência, inspiração e dedicação ao Cinema.