Chloe-Zhao-nomadland-2021

Óscares 2021: Vencedores

“Nomadland – Sobreviver na América” foi o grande vencedor da 93.ª edição dos Óscares, que num ano atípico, com uma pandemia ainda a decorrer, a cerimónia mudou-se do habitual Dolby Theatre para a Union Station.

Uma cerimónia bastante diferente do habitual, mais minimalista, sem orquestra e sem o glamour habitual dos Óscares, transmitida na Estação Ferroviária de Los Angeles, com a presença de apenas 200 pessoas. Uma edição com várias surpresas e que fez história em algumas categorias. A categoria mais aguardada da cerimónia, a de Melhor Filme, tradicionalmente a última a ser revelada, este ano foi a antepenúltima a ser entregue, deixando para o fim a entrega dos Óscares de Melhor Atriz e de Melhor Ator.

“Nomadland” conquistou três Óscares, o de Melhor Filme, Melhor Realização e Melhor Atriz (Frances McDormand). “O Pai”, “Ma Rainey: A Mãe do Blues”, “Mank”, “Soul”, “Judas and the Black Messiah” e “Sound of Metal” venceram duas categorias cada um. Enquanto que “Minari” e “Mais Uma Rodada” venceram apenas um.

A realizadora chinesa Chloe Zhao, por “Nomadland – Sobreviver na América”, fez história ao ser a primeira mulher não branca a ser nomeada para a categoria de Melhor Realização e fez história ao ser a segunda mulher a vencer nesta categoria, depois de Kathryn Bigelow, por “Estado de Guerra” (2008). Em 93 edições dos Óscares a Academia premiou apenas duas mulheres na categoria de realização.

A atriz sul-coreana Yuh-Jung Youn, uma das favoritas, venceu o Óscar de Melhor Atriz Secundária, por “Minari”. Já Glenn Close continua sem vencer uma estatueta dourada, contando já com oito nomeações e zero vitórias. Ainda assim, Glenn Close teve um dos momentos mais divertidos da cerimónia, ao dançar uma música de um filme de Spike Lee. Daniel Kaluuya venceu o seu primeiro Óscar, de Melhor Ator Secundário, em “Judas and the Black Messiah”.

Uma das grandes surpresas da noite foi Anthony Hopkins, que não esteve presente, venceu o Óscar de Melhor Ator, por “O Pai”, conquistando assim a sua segunda estatueta, depois de “O Silêncio dos Inocentes”, em 1992. Na categoria de Melhor Atriz, Frances McDormand conquistou o seu terceiro Óscar, sendo já uma das atrizes mais premiadas da Academia. Frances venceu ainda outro Óscar, enquanto produtora, pelo filme “Nomadland”, o de Melhor Filme.

Outra das surpresas da noite foi Erik Messerschmidt ter conquistado o Óscar de Melhor Fotografia, por “Mank”. Nos últimos 30 anos apenas três filmes a preto e branco venceram uma estatueta dourada nesta categoria: em 1994 com “A Lista de Schindler” (Janusz Kamiński) e em 2019 com “Roma” (Alfonso Cuarón).

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas norte-americana atribuiu o Óscar de Melhor Argumento Adaptado a “O Pai”, o de Melhores Efeitos Especiais foi para “Tenet”,“Soul” (Pixar e Disney) venceu, tal como esperado, o Óscar de Melhor Filme de Animação e de Melhor Banda Sonora Original. O Óscar de Melhor Som foi para “Sound of Metal”, que venceu ainda a categoria de Melhor Montagem, um filme da Amazon. 

A Netflix foi o estúdio mais premiado, tendo levado para casa 7 Óscares, por filmes como “Mank” e “Ma Rainey: A Mãe do Blues”, depois de ter obtido um recorde de 36 nomeações. No entanto, ainda não foi desta que conquista o de melhor filme.

Melhor Filme
Nomadland

Melhor Realização
Chloe Zhao, por Nomadland

Melhor Ator
Anthony Hopkins, em The Father

Melhor Atriz
Frances McDormand, em Nomadland

Melhor Ator Secundário
Daniel Kaluuya, em Judas and the Black Messiah

Melhor Atriz Secundária
Yuh-Jung Youn, em Minari

Melhor Argumento Original
Emerald Fennell, em Promising Young Woman

Melhor Argumento Adaptado
Florian Zeller and Christopher Hampton, em The Father

Melhor Filme de Animação
Soul

Melhor Filme Internacional
Another Round (Dinamarca)

Melhor Documentário
My Octopus Teacher

Melhor Fotografia
Erik Messerschmidt, por Mank

Melhor Guarda-Roupa
Ma Rainey’s Black Bottom

Melhor Montagem
Sound of Metal

Melhor Maquilhagem e Cabelo
Ma Rainey’s Black Bottom

Melhor Banda Sonora Original
Soul, por Trent ReznorAtticus RossJon Batiste

Melhor Canção Original
“Fight For You”, de Judas and the Black Messiah

Melhor Design de Produção
Mank

Melhor Som
Sound of Metal

Melhores Efeitos Visuais
Tenet

Melhor Curta de Animação
If Anything Happens I Love You

Melhor Curta Live-Action
Two Distant Strangers

Melhor Curta Documental
Colette

Skip to content