O realizador e argumentista norte-americano Paul Schrader, conhecido por ter escrito obras como “Taxi Driver”, “Touro Enraivecido” ou até o mais recente “No Coração da Escuridão” (ler crítica), criticou de forma negativa o público atual. Segundo ele, as pessoas que consomem cinema são culpados pela falta de “filmes sérios” na indústria cinematográfica.

Schrader deu uma entrevista durante o BAFTA Screenwriters Series em Londres na qual não apenas criticou o público atual, como revelou que acredita que era mais fácil fazer filmes na década de 70. “Algumas pessoas falam da década de 70 como um bom período para o cinema americano. De facto, foi um bom período, mas não porque tinha realizadores mais talentosos. Hoje há muitos realizadores talentosos. O que tínhamos era um público melhor”, disse Schrader.

“Quando as pessoas levavam um filme a sério, era fácil fazer filmes sérios. Quando não levam a sério, fica mais difícil. Agora o público não leva os filmes a sério e por isso tem sido mais difícil fazer filmes sérios. Não são os cineastas que estão a dececionar, é o público que está a dececionar-nos” disse o cineasta norte-americano.

Schrader dirigiu recentemente “No Coração da Escuridão”, que estreou em Portugal em julho, e a obra tem ganho vários prémios, o que dá a entender que estará na gala dos Óscares para lutar por várias das cobiçadas estatuetas douradas.

Este artigo foi originalmente publicado na Comunidade Cultura e Arte, tendo sido aqui reproduzido com a devida autorização.