Prémio Arcanjo 2023: “Meu Nome É Gal” é laureado na categoria de Cinema

Prémio Arcanjo 2023: "Meu Nome É Gal" é laureado na categoria de cinema

No último dia 13 de novembro, o Teatro Sérgio Cardoso, uma instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, foi palco de uma cerimónia de gala em homenagem aos melhores da cultura brasileira na 5ª edição do Prémio Arcanjo 2023.

Sob a liderança do seu fundador e diretor, o jornalista e crítico Miguel Arcanjo Prado, que comemora 20 anos de jornalismo cultural no Brasil, o evento foi um sucesso.

 

“Tenho certeza de que cada um que está aqui hoje já cruzou o meu caminho nesta cobertura diária da nossa cultura”, disse, emocionado.

 

A emoção tomou conta com o grande homenageado da noite, Zé Celso e seu Teatro Oficina, ao som de Roda Viva cantada à capela por todos.

Em sua quinta edição, a premiação destacou os profissionais de excelência em oito categorias: Artes Visuais, Cinema, Dança, Internacional, Música, Redes Sociais, Streaming de TV e Teatro. Além disso, prestou homenagem a outros 14 profissionais e instituições que se destacaram ao longo do ano.

No total, 22 vencedores foram anunciados naquela noite. O júri do Prémio Arcanjo de Cultura foi composto por Adriana de Barros, Bob Sousa, Hubert Alquéres, Miguel Arcanjo Prado e Zirlene Lemos, destacando-se por sua perspectiva plural, diversificada e democrática em relação à cena artística.

Dito isso, na categoria reservada ao Cinema, o prémio foi para “Meu Nome É Gal”, de Dandara Ferreira e Lô Politi, por narrar a estrela incontestável do tropicalismo e liberdade em tempos de ditadura.

Estrelado por Sophie Charlotte, “Meu Nome é Gal” narra a trajetória de Maria da Graça Costa Penna Burgos, conhecida como Gracinha, alcunha dada por sua mãe, Mariah. Aos 20 anos, Gal parte para o Rio de Janeiro, unindo-se aos parceiros de vida Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gilberto Gil e Dedé Gadelha.

A cantora enfrenta a timidez ao longo de sua carreira, mas a Tropicália amplifica sua força, ajudando-a a instigar uma revolução estética e comportamental que impacta toda uma geração, especialmente as mulheres. Esse movimento transforma a indústria musical, desafia a sociedade conservadora e consagra Gal como uma das principais figuras da música brasileira.

Além de Sophie Charlotte no papel de Gal Costa, o filme apresenta no elenco talentos como Rodrigo Lelis como Caetano Veloso, Dan Ferreira como Gilberto Gil, Camila Márdila interpretando Dedé Gadelha, George Sauma como Waly Salomão, Luis Lobianco como o empresário Guilherme Araújo, entre outros. A realizadora Dandara Ferreira também atua no filme, dando vida a Maria Bethânia, enquanto Fábio Assunção faz uma participação especial no papel de um diretor de televisão.

Skip to content