Arranca hoje a 66.ª edição do Festival Internacional de Cinema de San Sebastián com a exibição da comédia argentina “El Amor Menos Pensado”, do produtor Juan Vera, que se estreia na realização de longas-metragens.

Protagonizado por Ricardo Darín, Mercedes Morán e Claudia Fontán, esta comédia romântica conta a história de Marcos e Ana, os quais, após 25 anos de casamento, se questionam sobre o amor, a natureza do desejo e da fidelidade, tomando uma decisão que mudará as suas vidas para sempre.

Na secção oficial encontram-se em competição pela Concha de Ouro (o prémio mais importante de San Sebastián) vinte e dois filmes, dos quais se destacam, por exemplo: “High Life”, de Claire Denis, “The Innocent”, de Simon Jaquemet, “Illang: The Wolf Brigade”, de Kim Jee-Woon, “Vision”, de Naomi Kawase, “Rojo”, de Benjamín Naishtat, “Alpha, The Right to Kill”, de Brilliant Mendoza, “Beautiful Boy”, de Felix Van Groeningen, “Angelo”, de Markus Schleinzer.

A concorrer também pela Concha de Ouro está uma coprodução da Leopardo Filmes com a Alfama Films Productions, que contou com participação da RTP e o apoio da Câmara Municipal de Lisboa, “O Caderno Negro”, o novo filme de Valéria Sarmiento.

Produzido por Paulo Branco, este filme conta no elenco com vários dos mais importantes atores portugueses e franceses da atualidade: Lou de Laâge, Stanislas Merhar, Niels Schneider, Jenna Thiam, David Caracol, Fleur Fitoussi, Vasco Varela da Silva, Tiago Varela da Silva, Grégoire Leprince-Ringuet, Victoria Guerra, Joana Ribeiro, Catarina Wallenstein e Joaquim Leitão. 

O filme estreia nas salas portuguesas a 11 de outubro, uma semana depois da estreia em França.

Os prémios Donostia de Homenagem deste ano serão entregues ao cineasta Hirokazu Kore-eda (o primeiro realizador asiático a receber este prémio), a Danny DeVito e Judi Dench. A 66.ª edição do Festival de San Sebastián decorre até 29 de setembro.

Selecção Oficial
El Amor Menos Pensado, de Juan Vera (Argentina)
Bad Times at the el Royale, de Drew Goddard (EUA)
Alpha, The Right to Kill, de Brilliant Mendoza (Filipinas)
Angelo, de Markus Schreiner (Áustria)
Baby, de Liu Jie (China)
Beautiful Boy, de Felix Van Groeningen (EUA)
Blind Spot, de Tuva Novotny (Noruega)
The Innocent, de Simon Jaquemet (Suíça/Alemanha)
El Reino, de Rodrigo Sorogoyen (Espanha/França)
Entre dos Aguas, de Isaki Acuesta (Espanha)
High Life, de Claire Denis (França/Alemanha)
Illang: The Wolf Brigade, de Kim Jee-Woon (Coreia do Sul)
In Fabric, de Peter Strickland (Reino Unido)
A Faithful Man, de Louis Garrel (França)
The Black Book, de Valeria Sarmiento (França/Portugal)
Quién te Cantará, de Carlos Vermut (Espanha/França)
Rojo, de Benjamín Naishtat (Argentina/Bélgica/Brasil/Alemanha/França/Suíça)
Vision, de Naomi Kawase (Japão/França)
Yuli, de Icíar Bollaín (Espanha/Cuba/Reino Unido)
Gigantes, de Enrique Urbizu e Jorge Dorado (Espanha)
Dantza, de Telmo Esnal (Espanha)
Tiempo Después, de José Luis Cuerda (Espanha/Portugal)

Novos Realizadores
Apuntes para Una Película de Atracos, de León Siminiani (Espanha)
Jesus, de Hiroshi Okuyama (Japão)
Midnight Runner, de Hannes Baumgartner (Suíça)
Julia y el Zorro, de Inês María Barrionuevo (Argentina)
La Camarista, de Lila Avilés (México)
Météorites, de Romain Laguna (França)
Cold November, de Ismet Sijarina (Kosovo/Albânia)
Neon Heart, de Laurits Flensted-Jensen (Dinamarca)
Oreina, de Koldo Almandoz (Espanha)
Para la Guerra, de Francisco Marise (Argentina/Espanha)
Breeze, de Kun Yang (China)
Core of the World, de Nataliia Meshchaninova (Rússia)
The Third Wife, de Ash Mayfair (Vietname)
A Decent Man, de Hadrian Marcu (Roménia)
Viaje al Cuarto de Una Madre, de Celia Rico Clavellino (Espanha/França)