«The Fighter – Último Round» – Apenas mais um

Hollywood parece gostar bastante de filmes sobre a temática do Boxe. Já várias dezenas de filmes foram feitos, sendo que pelo menos quatro estiveram nomeados para os Óscares, “Rocky” (1976), “O Touro Enraivecido” (1980),“Million Dollar Baby” (2004) e “Cinderella Man” (2005). Obviamente, o filme de Scorsese, “O Touro Enraivecido”, é o melhor deles todos, e uma referência para os filmes que abordam esta temática. Já os outros três são muito parecidos, pois estudam a temática do pugilismo da mesma forma tradicional. Tal como acontece com “The Fighter – Último Round”, de David O.Russell, que é apenas mais um filme sobre o boxe. É só mais uma história das centenas de histórias que existem por contar no mundo do boxe ou qualquer outro desporto.

Uma história sobre dois irmãos, Dicky Ecklund (Christian Bale) que foi um potencial grande boxeur que desperdiçou o seu talento e Micky Ward (Mark Wahlberg), seu meio-irmão, é um pugilista batalhador que viveu sempre na sombra. Os dois cresceram nas ruas da operária cidade de Lowell, Massachusetts – Dick foi um herói local e chegou mesmo a aguentar um combate com uma lenda do boxe, Sugar Ray Leonard. Mas perdeu o seu rumo, vivendo para as drogas e deixando para trás os ringues. É então que a família centraliza as atenções em Micky, que, apesar de esforçado, não parece feito para vitórias e quase morre numa luta – uma derrota devastadora que quase põe um ponto final na sua carreira. A sua namorada, Charlene (Amy Adams), consegue que ele se afaste da sua complicada família e deixe Dicky entregue aos seus problemas. Mas quando Micky consegue uma última oportunidade para um derradeiro grande combate, volta a família e volta Dicky.

Baseado em factos verídicos, esta história não trás nada de novo, já vimos esta história nos filmes referidos em cima, com uma estrutura narrativa muito semelhante. Ou seja, muito previsível e entediante. A realização de Russell é fraca, pois limitou-se a copiar a realização de um género já tantas vezes repetido. O único aspecto positivo da sua realização é a maneira como retrata a classe operária americana dos anos 90, que luta todos os dias para sobreviver, usando o pugilismo como uma forma de ganhar dinheiro, de vencer (como o próprio nome do filme diz “The Fighter”, significa lutador, tal como Micky Ward é um lutador e um vencedor, pois esforça-se por ser um bom pugilista) e não tanto como uma forma de entretenimento ou um hobby. E felizmente que o filme se centra muito neste aspecto. Mas a grande força do filme está no fenomenal elenco. Que apesar de ter Mark Wahlberg como o protagonista da história, quem lidera o elenco é Christian Bale, que com o seu extraordinário papel secundário consegue dominar todo o filme. Mas não esquecendo o restante elenco, Amy Adams e Melissa Leo, estiveram à altura do papel, tal como Mark Wahlberg que surpreende bastante pela positiva.

“The Fighter – Último Round” já arrecadou dois Globos de Ouro (para os atores Christian Bale e Melissa Leo). Para os Óscares 2011, está nomeado para sete categorias, incluindo, Melhor Filme, Realizador, Ator Secundário (Christian Bale), Atriz Secundária (Amy Adams  e Melissa Leo) e por incrível que pareça, Melhor Argumento Original. “The Fighter” não é um mau filme, mas volto a repetir, é apenas mais um!

Realização: David O.Russell

Argumento: Scott Silver

Elenco: Mark Wahlberg, Christian Bale, Amy Adams  e Melissa Leo

EUA/2011 – Biografia

Sinopse: Dicky Ecklund é uma antiga lenda do pugilismo que desperdiçou os seus talentos e deitou fora a sua oportunidade de grandeza. Micky Ward), o seu meio-irmão, é um pugilista batalhador que viveu toda a vida na sombra do irmão. The Fighter é a história verídica e inspiradora destes dois irmãos que, contra todas as expectativas, se aproximam para treinar para um histórico combate pelo título que irá unir a sua família desfeita, redimir os seus passados e dar finalmente à sua cidade aquilo por que esta tanto espera: orgulho.


Classificação dos Leitores0 Votes
3