O realizador de biografias como “Al Berto” (2017) e “Florbela” (2012) regressa ao género biográfico para contar a vida e obra de um dos mais importantes pintores portugueses, Amadeo de Souza Cardoso. Vicente Alves do Ó iniciou a rodagem do filme “Amadeo”, naquele que pretende ser um retrato íntimo e pessoal do pintor. Produzido pela Ukbar Filmes, com distribuição pela NOS Audiovisuais, a longa metragem de tributo ao pintor português chegará ao grande ecrã a 12 de novembro de 2020.

“Amadeo” será rodado entre Lisboa, Óbidos, Sintra e Caldas da Rainha, recriando a histórica exposição de 1916, no Salão de Festas do Jardim Passos Manuel, no Porto, o período que antecede a sua morte em 1918 e a Paris de 1911, onde Amadeo passou parte da sua vida e produziu grande parte da sua obra.

O ator Rafael Morais assume o papel de Amadeo de Souza Cardoso, ao lado da atriz Ana Lopes, que representará Lucie Pecetto, sua mulher, e de atores como: Ana Vilela da Costa, Eunice Munõz, José Pimentão, Lúcia Moniz, Manuela Couto ou Rogério Samora, entre outros.

Um dos grandes desafios para Vicente Alves do Ó foi a contextualização histórica do ponto de vista artístico e patrimonial, impondo-se, assim, a recriação do espírito da época através de um olhar contemporâneo sobre personagens e espaços que tanto se querem de época como atuais.

Foi em Paris que o pintor se rodeou por um importante círculo de amigos, entre os quais Amadeo Modigliani, Picasso, Apollinaire, Brancusi, Derain, Emmerico Nunes, Eduardo Vianna ou Max Jacob e que, juntamente com Almada Negreiros e Sarah Afonso, serão representados neste filme, onde o realizador retrata o artista íntima e artisticamente em três fases interligadas da sua vida: Manhufe (1916), Paris (1911) e Espinho (1918).

“Amadeo” é uma produção Ukbar Filmes com o apoio do ICA, RTP, Pic Portugal e Fundação Calouste Gulbenkian. A produção contou com a consultoria de Marta Soares, investigadora, historiadora e recente curadora especializada na obra de Amadeo de Souza-Cardoso.