8   +   7   =  

Em comemoração do 122º aniversário de Charles Chaplin, que nasceu a 16 de Abril de1889, o Cinema 7ª Arte decidiu comemorar esta data memorável com a publicação de duas análises formais de dois grandes filmes deste artista. Como todos os filmes de Chaplin são grandes obras de arte, verdadeiros clássicos do cinema e eu gosto de todos eles, foi bastante complicado escolher um que seja. Pelo que, após muita reflexão, acabei por escolher dois filmes que marcaram o inicio da carreira de Chaplin, nas longas-metragens, no tempo do cinema mudo, são elas, “O Garoto” (1921) e “A Quimera do Ouro” (1925). Irei primeiro publicar um artigo curto sobre o cinema mudo, no dia 10 de Abril (domingo) e depois irei publicar os dois artigos sobre os dois filmes, o primeiro no dia 11 de Abril (segunda-feira) e o segundo no dia 12 de Abril (terça-feira), respectivamente.

 

Escolhi “O Garoto” (1921) por ser a primeira longa-metragem de Chaplin e a sua primeira obra-prima e porque gosto muito deste filme, que vejo desde criança. irei analisar em pormenor a famosa sequência dramática em que vemos o garoto a ser levado por dois homens que o levam para o orfanato do estado.

 

E escolhi “A Quimera do Ouro” (1925), também por ser um dos meus filmes favoritos, que vejo desde criança e pelo facto de já não me recordar muito do filme, assim pude voltar a revê-lo e estudá-lo. A sequência que irei analisar é o momento em que Charlot se transforma numa galinha gigante.

 

Fiquem atentos, pois o Chaplin está prestes a comemorar 122 anos e o Cinema 7ª Arte vai comemorar este acontecimento dentro de poucos dias!

O Cinema Mudo

O Garoto de Charlot

A Quimera do Ouro