Desde longas a curtas-metragens o cinema português tem chegado a todos os cantos do mundo, sendo nomeado para diversos festivais e ganho alguns prémios, nos últimos meses.

 

Nas longas-metragens, o poético filme “Tabu” de Miguel Gomes, vencedor do prémio Alfred Bauer e FIPRESCI do Festival de Berlim 2012, é o que mais prémios e destaque tem tido nos últimos meses. Faz parte dos dez nomeados aos prémios LUX, atribuídos pelo Parlamento Europeu, sendo o terceiro filme português a obter esta nomeação, depois de “Belle Toujours” (2007) de Manoel de Oliveira e de “Mistérios de Lisboa” (2010) de Raúl Ruiz. Foi distinguido com uma Menção Honrosa e o Prémio do Júri dos Bloggers no Festival Paris Cinéma 2012 e faz parte da selecção do Festival de Melbourne 2012, que decorrerá de 2 a 19 de agosto na Austrália.

 

A longa-metragem “Estrada de Palha”, de Rodrigo Areias, recebeu uma Menção Especial no Prémio do Júri Ecuménico do Festival Internacional de Cinema de Karlovy Vary 2012. Encontra-se ainda selecioando para a 35ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e para o International Film Festival Moskow.

 

A longa que adaptou um conto de Barbey d’Aurevilly, “A Vingança de Uma Mulher”, de Rita Azevedo Gomes, ganhou o prémio para Melhor Longa-metragem de Ficção do CINESUL – Festival Ibero-Americano de Cinema e Vídeo.

 

A comédia portuguesa de 2007, “Dot.com”, de Luís Galvão Teles, foi nomeada para Melhor Filme Europeu de 2011 nos Globos de Ouro Italianos, concorrendo ao lado de dois filmes de peso, “Amigos Improváveis” de Eric Toledano e Olivier Nakache e “O Artista” de Michel Hazanavicius.

 

O encantador e único “Mistérios de Lisboa” (2010), de Raúl Ruiz, que venceu já múltiplos prémios por todo o mundo, vai ser exibido este mês na Rússia e no Japão, depois de ter estreado comercialmente em países como a França (com mais de 100 mil espectadores), os EUA, o Canadá, o Reino Unido, a Espanha, o México, o Brasil, a Suíça, a Bélgica, a Holanda, o Chile, a Nova Zelândia e Taiwan.

 

No campo da curtas-metragens, “As Ondas”, a terceira curta de Miguel Fonseca, recebeu uma menção especial do Júri de Curtas Metragens do Festival de Edimburgo. “North Atlantic”, de Bernardo Nascimento, está entre os 50 semifinalistas do Your Film Festival, um festival de cinema online, no YouTube, e cujos vencedores serão exibidos no Festival de Veneza. “Celeste”, realizado por José Maria Norton, ganhou o Prémio Buzz, no Manhattan Film Festival. “A estrela mais brilhante”, de André Matos e Joana Santos, foi distinguida com o prémio de Melhor Ficção Nacional na 5ª edição do Porto 7. A animação “Conto do Vento”, de Cláudio Jordão e Nelson Martins, ganhou o prémio para filme mais inovador do 40º Festival das Nações, na Áustria, depois de já ter sido premiada em festivais na Albânia, Brasil, Eslovénia, Grécia, Índia, Itália e Portugal.

 

Assim caminha em pompa e circunstância o cinema português um pouco por todo o lado.