ICA apoia novas longas-metragens de Miguel Gomes, Edar Pêra, Tiago Guedes, André Gil Mata e Vicente Alves do Ó

mil-e-uma-noites-miguel-gomes-trilogia

O Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA) anunciou os vencedores do 2.º concurso de apoio à Produção de Longas-Metragens de Ficção 2020, no montante de três milhões de euros repartidos em partes iguais por cinco projetos.

Miguel Gomes, Tiago Guedes, Edgar Pêra, André Gil Mata e Vicente Alves do Ó são os cinco realizadores contemplados no concurso. Segundo o ICA, o financiamento será repartido em partes iguais por “Gran Tour”, de Miguel Gomes, “Vidros no Asfalto”, de Edgar Pêra, “Restos”, de Tiago Guedes, “Sob a Chama da Candeia”, de André Gil Mata, e “Malcriado”, de Vicente Alves do Ó.

Do primeiro concurso de Apoio à Produção de Longas-Metragens de Ficção 2020, no valor de 1,8 milhões de euros, tinham saído aprovados os projectos “Um Filme em Forma de Assim”, de João Botelho, “Projecto Global”, de Ivo M. Ferreira, e “O Pior Homem de Londres”, de Rodrigo Areias.

“Gran Tour”, uma produção Uma Pedra no Sapato e Vende-se Filmes, é mais um dos novos projetos de Miguel Gomes, que se encontra a trabalhar no filme “Selvajaria”, uma adaptação livre da obra brasileira “Os Sertões”, de Euclides da Cunha, um relato da campanha militar do final do século XIX da recém-formada República Brasileira contra o pequeno povoado de Canudos. O filme recebeu 310 mil euros de apoio da Eurimages.

“Restos”, de Tiago Guedes, é uma produção da Leopardo Filmes e Alfama Films, com argumento de Guedes e Tiago Rodrigues, sobre um homem que ficou com um problema mental depois de ter sido brutalmente espancado na adolescência, numa vila transmontana. O novo filme de Tiago Guedes conta ainda com o apoio do canal francês ARTE France Cinéma e deverá iniciar as filmagens ainda este ano. Tiago Guedes recebeu também apoio financeiro para a realização da série “Glória”, para a Netflix, que se encontra em fase de pós-produção.

“Vidros no Asfalto” é uma produção da Bando à Parte com realização de Edgar Pêra, que deverá estrear ainda este ano “Kinorama – Cinema Fora de Órbita”, um filme no formato tridimensional, uma cine-investigação sobre a relação do transe com o ato de ver cinema.

“Sob a chama da candeia”, de André Gil Mata, será produzido pela Rua Escura, e “Malcriado”, de Vicente Alves do Ó, pela Ukbar Filmes, que segundo o realizador vai “filmar os anos 80” e deverá estrear entre 2023 e 2024.

Skip to content