A-Febre-Indielisboa-2020

Indielisboa 2020: Vencedores

O filme brasileiro “A Febre”, de Maya Da-Rin, um filme que explora as pressões de um modo de vida urbano e moderno, venceu o Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa, da 17.ª edição do IndieLisboa Festival Internacional de Cinema, que terminou no passado dia 6 de setembro.

Segundo o júri, “a mise en scène de Maya Da-Rin pode parecer discreta, mas na verdade, é extremamente bem trabalhada. O resultado é um filme rico e cheio de nuances e uma exploração altamente realizada da situação difícil que os indígenas enfrentam no Brasil contemporâneo.”

O júri da Competição Internacional galardoou ainda “Victoria”, de Isabelle Tollenaere, Liesbeth De Ceulaer e Sofie Benoot, com o Prémio Especial do Júri Canais TVCine.

Na competição nacional “O Fim do Mundo”, de Basil da Cunha, venceu o Prémio Allianz para Melhor Longa Metragem Portuguesa, que segundo o júri atribuiu este prémio “por seu retrato íntimo e sincero, embora cruel, de uma sociedade efervescente que está prestes a explodir e queimar a todos nós. O prémio de melhor filme vai para O Fim Do Mundo, de Basil da Cunha e seus amigos”.

A-Metamorfose-dos-Passaros-indie-lisboa

“A Metamorfose dos Pássaros”, de Catarina Vasconcelos, venceu o Prémio de Melhor Realização para uma Longa Metragem Portuguesa e o Prémio do Público de Melhor Longa. “Pela maneira muito terna e comovente de lidar com as relações paternas e maternas, o amor e a ausência. Pois é uma forma criativa de inventar sua própria biografia, brincando com imagens e ressignificando-as para seu próprio uso e memória. Para nos mostrar essa memória, é o que queremos que seja; Uma ficção baseada em fatos reais.”

Enquanto isso, o Prémio Dolce Gusto para Melhor Curta Metragem Portuguesa foi atribuído a “Meine Leibe”, de Clara Jost. E o Prémio Novo Talento FCSH/NOVA revelou a “irreverência cinematográfica” de Bernardo e Afonso Rapazote, em “Corte”. O Grande Prémio de Curta Metragem foi entregue a “Tendre”, de Isabel Pagliai.

Vencedores

Competição Internacional de Longas-metragens
Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa
A Febre, de Maya Da-Rin, Brasil / França / Alemanha, fic., 2019, 98′
Prémio Especial do Júri Canais TVCine
Victoria, de Isabelle Tollenaere, Liesbeth De Ceulaer e Sofie Benoot, Bélgica, doc., 2020, 71

Grande Prémio de Curta Metragem
Tendre, de Isabel Pagliai, França, doc., 2020, 43′
Prémio Melhor Curta de Animação
This Means More, de Nicolas Gourault, França, doc. / anim., 2019, 22′
Prémio Melhor Curta de Documentário
Douma Underground, de Tim Alsiofi, Líbano, doc., 2019, 11′
Prémio Melhor Curta de Ficção
Shãnzhài Screens, de Paul Heintz, França / China, doc., 2020, 23′

Competição Nacional
Prémio Allianz para Melhor Longa Metragem Portuguesa
O Fim do Mundo, de Basil da Cunha, Portugal, fic., 2019, 107′
Prémio Melhor Realização para Longa Metragem Portuguesa
A Metamorfose dos Pássaros, de Catarina Vasconcelos, Portugal, doc. / fic., 2020, 101′
Prémio Dolce Gusto para Melhor Curta Metragem Portuguesa
Meiine Liebe, de Clara Jost, Portugal, doc., 2020, 6′
Prémio Novo Talento FCSH/NOVA
Corte, de Bernardo Rapazote e Afonso Rapazote, Portugal, fic., 2020, 28′

Competição Novíssimos
Prémio Novíssimos The Yellow Color + Portugal Film
Contrafogo, de Carolina Vieira, Portugal, doc., 2020, 10′
Menção Especial 
Nestor, de João Gonzalez, Portugal, anim., 2019, 6′

Prémio do Público
Prémio Longa Metragem
A Metamorfose dos Pássaros, de Catarina Vasconcelos
Prémio Curta Metragem
Mardi de 8 à 18, de Cecilia de Arce
Prémio IndieJúnior
A Minha Vida em Versalhes, de Clémence Madeleine Perdrillat e Nathaniel H’limi

Fonte: IndieLisboa