O filme “José e Pilar”, de Miguel Gonçalves Mendes, tem estado nas “bocas do mundo”, desde a sua estreia em Portugal, Espanha, Brasil e França. Com constantes críticas positivas era de esperar que fosse nomeado para alguns prémios ou festivais. Sendo que está nomeado para dois prémios, no Brasil e em Portugal. No Brasil, está nomeado para Melhor Documentário nos prémios da Academia Brasileira de Cinema (o maior evento de cinema no Brasil). No dia 5 de Abril, no Teatro João Caetano no Rio de Janeiro, os vencedores serão revelados.

 

Em Portugal, está nomeado para Melhor Filme na categoria de Cinema dos prémios entregues pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA). “José e Pilar” tem que disputar o prémio com dois outros grandes filmes, o “Filme do Desassossego” de João Botelho e “Mistérios de Lisboa” de Raul Ruiz. Os Prémios, atribuídos pela SPA, tem como objectivo distinguir o que de melhor se faz em Portugal, em diversas áreas artísticas, como cinema, teatro, artes visuais e música, entre outras. Os prémios serão entregues no dia 21 de Fevereiro, no Centro Cultural de Belém, numa gala transmitida em directo pela RTP1.

 

O filme que documenta a vida do escritor José Saramago e da relação de amor e trabalho com a sua mulher, a jornalista Pilar del Rio, já foi visto, em Portugal, por mais de 19 500 espectadores. Ocupando, assim, o quarto lugar do filme português mais visto de 2010. O objectivo é chegar aos 20 mil espectadores, pelo que ainda é possível vê-lo em duas salas, uma em Lisboa e outra no Porto. No Brasil foi visto por cerca de 40 mil espectadores e continua em exibição em vários países.