“José e Pilar”, realizado pelo cineasta português, Miguel Gonçalves Mendes, resulta de uma co-produção da El Deseo (Espanha), associada ao realizador Pedro Almodóvar, da O2 (Brasil), produtora do realizador Fernando Meirelles e da Jump Cut (Portugal), do cineasta Miguel Goncalves Mendes. Este documentário é um retrato intimista da vida do escritor José Saramago e da sua mulher, Pilar Del Rio. Uma história entre José e Pilar e sobre o amor que ambos tinham à vida.

Em “José e Pilar” é possível entrarmos no universo de Saramago e Pilar, acompanhando o dia a dia destas duas magníficas pessoas, que tem uma visão muito particular do mundo. O filme acompanha todo o processo de escrita do livro “A Viagem do Elefante”, ou seja, desde a primeira ideia (2006), até ao lançamento do livro e da primeira ideia para o livro de “Caim”, finais de 2008, passando pela fase da doença que deixou Saramago muito frágil e o atrasou na escrita do livro.

Contado em três actos, no primeiro vemos o árduo trabalho do casal, em constantes viagens de carro e de avião por todo o mundo, com conferências de imprensa, reuniões e sessões de autógrafos. Vemos a Biblioteca de Saramago, em Lanzarote, ser inaugurada e o processo de escrita do seu novo livro “A Viagem do Elefante”. No segundo acto, Saramago fica doente, devido à stressante vida que levava, com excesso de trabalho. Pilar cancela toda agenda de José, pois este encontrava-se muito mal. Saramago ficou internado no Hospital durante vários meses, tendo estado perto da morte. No terceiro acto, já recuperado e com força, Saramago, agarra-se energicamente à escrita do seu livro. Durante vários meses vemos Saramago a escrever o livro e à abertura da maior exposição alguma vez feita ao nosso Prémio Novel da Literatura. Em 2008,  é lançado o livro, no Brasil e Saramago, durante a viagem de regresso a casa, tem outra ideia para o seu próximo livro, que seria “Caim”.

“José e Pilar” é um documentário tão verdadeiro, que ficamos mesmo aconhecer estas duas pessoas, que se amam. José Saramago é um homem muito inteligente, com um enorme sentido de humor e com uma grande vontade de viver e de mudar o mundo, e por isso, é um documentário optimista. Saramago, mesmo nos momentos mais difíceis da sua vida, nunca perdeu a esperança e o sentido de humor. Pilar Del Rio é uma mulher determinada e forte, sabe sempre o que quer e grande defensora dos direitos das mulheres. Dedicada ao seu marido, que tanto ama, acompanha-o para todo o lado. Os dois completam-se e formam uma dupla forte e única. Foram feitos um para o outro. Saramago sem Pilar não era Saramago e Pilar sem Saramago não era Pilar.

Com mais de 240 horas de filmagens Miguel chegou a 2h de um documentário, que a equipa de produção acompanhou o casal por países como Finlândia, Brasil e Portugal. A câmara de Miguel é fantástica, conseguindo colocar o público mesmo ao lado de José e Pilar e quando o filme termina, parece que vivemos com eles durante mais de três anos e os conhecemos como dois amigos. O filme está muito bem editado, com momentos experimentais, e tem uma banda sonora muito boa. Infelizmente a 18 de Junho, deste ano, Saramago faleceu e não chegou a ver a versão final do documentário.

Com este filme, ficamos também a perceber que Saramago nunca foi muito bem tratado por Portugal, o seu pais de origem, ao contrário da Espanha e do Brasil, que sempre o trataram bem e o respeitaram. É um dos melhores documentários portugueses de sempre e um dos melhores filmes do ano. “José e Pilar”, que foi distinguido com o Prémio do Público na Mostra de Cinema de São Paulo 2010 e no DocLisboa 2010, é um olhar sobre avida de um dos grandes criadores do século XX e a demonstração de que, como diz Saramago, “tudo pode ser contado de outra maneira”.

Realização: Miguel Gonçalves Mendes

Argumento: Miguel Gonçalves Mendes

Elenco: José Saramago, Pilar del Rio

Portugal/2010 – Documentário

Sinopse: A Viagem do Elefante, o livro em que Saramago narra as aventuras e desventuras de um paquiderme transportado desde a corte de D. João III à do austríaco Arquiduque Maximiliano, é o ponto de partida para José e Pilar, filme de Miguel Gonçalves Mendes que retrata a relação entre José Saramago e Pilar del Río. Mostra do dia-a-dia do casal em Lanzarote e Lisboa, na sua casa e em viagens de trabalho por todo o mundo, José e Pilar é um retrato surpreendente de um autor durante o seu processo de criação e da relação de um casal empenhado em mudar o mundo – ou, pelo menos, em torná-lo melhor. José e Pilar revela um Saramago desconhecido, desfaz ideias feitas e prova que génio e simplicidade são compatíveis. José e Pilar é um olhar sobre a vida de um dos grandes criadores do século XX e a demonstração de que, como diz Saramago, “tudo pode ser contado de outra maneira”.

«José e Pilar» - As Pequenas Memórias
5.0Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos